Escape de preços extorsivos de celular nas viagens internacionais

Escolher o plano de celular compatível com a necessidade de cada viagem é uma tarefa árdua justamente pelas benesses que a tecnologia proporciona. São múltiplos os planos que o viajante pode escolher em cada país e cada qual tem peculiaridades e tarifas específicas.
Uma das primeiras questões que o usuário deve considerar é a necessidade de uso (e o que pode gastar) em relação a cada viagem.
Caso o objetivo seja economizar dinheiro, não se deve hesitar na compra de um chip pré-pago local, com uso muito mais barato –inclusive para navegação na internet na maioria dos países.
A facilidade, no entanto, está disponível apenas para aqueles que têm celulares desbloqueados.
No ano passado, a Anatel determinou que isso é direito de todo cliente brasileiro, sem cobrança de multa adicional; a medida permite o uso em várias operadoras, inclusive nas internacionais.
Se não for o caso, Estados Unidos e França, por exemplo, vendem celulares básicos a preços baixos e que, mesmo não tendo a facilidade de aplicativos dos smartphones, também propiciam navegação na internet.
Mas, se é preciso receber ligações no seu próprio número brasileiro, a opção é o roaming pós-pago. Embora confortável, essa opção é bem mais cara –a própria facilidade pode aumentar o uso, que deve ser sentido somente quando a conta de celular chegar ao usuário.
Outra opção para aparelhos que a possuem é a conexão Wi-Fi: em diversos países, os hotéis, os bares e os cafés deixam essa tecnologia disponível e, caso tenha um smartphone, o usuário pode até fazer ligações via Skype para o Brasil a custos módicos.
Fonte: Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *