As estações de esqui chilenas de Portilho, Valle Nevado e Termas de Chillán e Bariloche, na Argentina, estão na mira dos aficionados

No dia 20 de junho, começa a temporada de neve no hemisfério Sul, período em que as estações de esqui do Chile, principalmente, e da Argentina atraem as atenções de esquiadores e snowboarders do mundo todo. As levas de adeptos dos esportes de inverno chegam à região atraída tanto pelas pistas radicais – ou de iniciantes e intermediárias – da cordilheira dos Andes como pelas características únicas de cada estação, que incluem desde banhos termais, em meio às precipitações de neve, aos tratamentos com lama medicinal e cassino.

De brinde, o contato com as singulares culturas andinas, em cenários emoldurados por vastas planícies (inclusive de sal) e lagos congelados. E os vinhos? Principais países produtores da secular bebida na América do Sul, Chile – que possui excelentes rótulos, apreciados mundialmente – e Argentina ainda oferecem aos visitantes a possibilidade de aquecerem o corpo e a alma com reservas de suas melhores safras.

Brasileiros

Pela proximidade e a relação custo-benefício, as estações andinas estão entre as preferidas dos brasileiros. Atualmente, o país é o segundo emissor de visitantes para o Chile durante o inverno. Em Valle Nevado, por exemplo, 70% dos turistas na estação do frio são brasileiros – até as aulas coletivas são em portunhol.

Na estação de Portilho, o Brasil é o mercado número um do resort, seguido dos EUA, Chile, Canadá e Peru.
Situada ao norte da Patagônia e a poucos quilômetros da fronteira com o Chile, a argentina Bariloche é outra estação concorrida entre os brasucas. Eles vão em busca de suas montanhas geladas e conjunto de lagos que circundam a cidadezinha de ares medievais.

Aulas de esqui

Além das suas montanhas com muita neve e pistas para todos os níveis de praticantes – iniciante, intermediário e radical -, se existe algo em comum em todas as estações de esqui do planeta são os preços das aulas para se aprender a praticar tal esporte. Exemplo disse é que o preço da aula particular, com oito horas de duração, que custava em Vail e Aspen, no Estado do Colorado (EUA), respectivamente, US$ 710 e US$ 691 na última temporada, de dezembro a abril, vai custar US$ 674 na estação chilena de Valle Nevado na próxima temporada, que começa no dia 20 de junho e vai até meados do mês de setembro. A paridade no preços desse serviço é válida também para as estações canadenses e europeias.

Valle Nevado: sinta-se em casa
Chegar a Valle Nevado já é uma aventura: são mais de 50 curvas sinuosas, em uma estrada íngreme mais conhecida como “caminhos tortuosos do Andes”, mas que permite uma perfeita visão do extasiante cenário.
Encravada a 3.000 m de altitude na cordilheira dos Andes, a duas horas de Santiago, a isolada estação tem uma ótima infraestrutura: três hotéis, cinco restaurantes, piscina aquecida, spa, bares, discoteca e lojas. em todo lugar se fala português, já que 70% dos turistas na temporada são brasileiros.

A estação tem 40 pistas de diferentes níveis de dificuldade, com altitudes de até 3.670 m. Para os que buscam aventuras radicais, há o heliesqui, no qual um helicóptero leva o esquiador até montanhas mais altas e afastadas. Você pode ser deixado no cume de um pico e se arriscar montanha abaixo, acompanhado de um guia.

Nas lojas de acessórios esportivos, encontram-se mais de 1.200 equipamentos dos mais modernos para esqui e snowboard e de marcas como North Face, Burton, Columbia, Top Ski, Three Monkey Eye Wear e Billabong.

Fonte: O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *