Demanda de passageiros cresce 6,1% em abril, segundo dados da Iata

A demanda de passageiros nas companhias aéreas do mundo todo aumentou 6,1% em abril deste ano, na comparação com o mesmo mês do ano passado. No período, o mercado internacional de passageiros cresceu 7,4%, enquanto que o doméstico apresentou alta de 3,9%.
Segundo dados da Iata (International Air Transporting Association), divulgados nesta quarta-feira (30), no que diz respeito ao transporte de cargas, houve queda de 4,2% em abril, na comparação com o mesmo mês de 2011.
Outros dados
Considerando os continentes, o relatório aponta que o Oriente Médio liderou  no crescimento do tráfego em abril com um aumento de 14,6% na demanda em relação a igual mês de 2011.
No que diz respeito ao Brasil, o relatório mostra que as companhias do País viram um crescimento de 2,0% na demanda.

Preços das diárias nos hotéis poderão ficar até 72% mais baratos na Rio+20

Os preços das diárias dos hotéis no Rio de Janeiro terão redução de até 72% durante o evento Rio+20 – Conferência das Nações Unidos sobre o desenvolvimento Sustentável – que acontece entre os dias 13 a 22 de junho.
Segundo levantamento realizado pela TurisRio, a pedido do Ministério do Turismo, dos 31 hotéis pesquisados, apenas um não apresentou alteração nas tarifas. Já os outros 30, apresentaram uma redução mínima de 13% em suas diárias.
A pesquisa ainda mostrou 68% dos hotéis dizem ter r condições de receber pessoas com deficiência.

Serviços

Com relação aos serviços, 97% dos hotéis informaram que possuem restaurantes para os hospedes e 68% disseram possuir salão de eventos.
Ainda 61%,  informaram  que têm sala de reunião equipada e 97% disseram que disponibilizam informações turísticas para os hóspedes. Mais da metade (58%) dos hotéis pesquisados incentivam a sustentabilidade.

Fonte:Uol

TAP inicia nesta terça a operação do voo entre Confins e Lisboa todos os dias

A empresa aérea TAP iniciou nesta terça-feira a operação diária dos voos entre Confins e Lisboa, capital portuguesa. Assim, Minas Gerais passa a ter uma ligação diária com a Europa, com a possibilidade de conexões com vários outros países. A ampliação é uma conseqüência do sucesso do trecho, operado há quatro anos pela companhia com ocupação média acima dos 70%.
Para Mario Carvalho, diretor geral da TAP para a América Latina, “Minas Gerais é reconhecida como um destino atraente e com opções. Mostra a diversificação brasileira que deixa de ser só praia e sol. A história do Brasil também é um ponto importante de atração principalmente para Portugal com suas ligações viscerais”.

É importante ressaltar que nesse período de quatro anos da freqüência Belo Horizonte e Lisboa já foram transportadas 2 mil toneladas de cargas com destino a União Europeia. “Com os voos diários entre Belo Horizonte e Lisboa a TAP reafirma seu compromisso de sempre investir nos seus produtos e trazer mais possibilidades ao trade turístico, sem contar a contribuição para o desenvolvimento socioeconômico da região e o transporte de cargas que engloba frutas, cilindros e motores de caminhões, pedras brutas e acabadas entre outras”, completa Carvalho.

Saiba mais…

Os voos partem de Belo Horizonte às16 h45 e chegam à Lisboa às 6h, horário local. No retorno, decola de Lisboa às 9h35 e pousa na capital mineira às 15h15. Esta linha é operada nos modernos aviões A330 da companhia.

A companhia mantém-se presente em 10 cidades brasileiras com mais de 70 freqüências semanais para Lisboa. E com a abertura das rotas no próximo mês de junho para Berlim, Turim e Bucareste reforçará significativamente a sua oferta para 51 destinos europeus e se consolidará como a companhia aérea que mais voa do Brasil para a Europa.

Viagem de Cruzeiro o Que Levar: Daremos algumas dicas em nossa matéria de hoje sobre o que levar em um Cruzeiros marítimo, pois muitas pessoas aderiram a esse tipo de viagens dos últimos anos para cá, e conseqüentemente acabaram levando roupas desnecessárias, fazendo um grande volume em suas malas, confiram nossa matéria completa para seguir algumas importantes dicas para que vocês possam levar apenas o necessário em suas malas.

A pergunta que não quer calar é a seguinte, o que levar em uma viagem de cruzeiro? Perguntas como essa são muito freqüentes para marinheiros de primeira viagem e pessoas indecisas em saber o que vão vestir, a primeira dica é para o dia a dia, onde é aconselhável roupas esportivas e informais, os calçados devem ser de saltos baixos e leves, já para ocasiões como o jantar oferecido pelo Comandante do Navio, é necessário utilizar um traje de gala, onde os homens devem usar paletó e gravata, e as mulheres vestido longo.

publicidade

Ao arrumar as malas para uma viagem de cruzeiro, não esqueçam de etiquetar suas malas com o seu nome completo junto do numero da cabine, assim, caso os seus pertences sejam extraviados, em poucos minutos os responsáveis por esse trabalho já terão suas informações para devolver, é importante ressaltar também que não há limite de bagagens em um navio, porém deve-se levar o necessário, lembre-se que em alguns trechos aéreos, caso haja alguns, é necessário respeitar os limites de bagagens para cada pessoa.

Para quem pretende ter algumas dicas sobre roupas para levar em uma viagem de cruzeiro, não deixem de levar roupas para banho de piscina, SPA, além de roupas para festas de gala e também roupas esportivas e mais leves, cada tipo de roupa para uma ocasião diferente, caso pretenda passear pelo navio, não esqueça de ter sempre em mãos um pulôver ou um moletom, devido as mudanças climáticas de dentro e fora do navio.

Agora que vocês caros leitores puderam acompanhar algumas dicas sobre o que levar em um cruzeiro marítimo, esperamos que consigam diminuir ao máximo suas bagagens para não haver nenhum tipo de problema durante a sua viagem, esperamos que todos vocês interessados em realizar uma viagem, tenham a oportunidade de utilizar a nossa matéria como referência para a sua viagem, desejamos a todos uma ótima viagem e até a próxima.

Fusão entre Azul e Trip não deve ser positiva para o consumidor, dizem especialistas

Foi anunciada na tarde desta segunda-feira (28) a fusão entre as empresas aéreas Azul e Trip, companhias que atuam em voos regionais.
Segundo o diretor de Fiscalização da Fundação Procon-SP, Renan Ferraciolli, num primeiro momento, a fusão não é positiva para o consumidor, pois diminui a concorrência.
“Ficamos agora com apenas três grandes empresas, por isso, esperamos que elas passem a competir mais entre si, agregando vantagens para o consumidor”, afirma.
De acordo com Ferraciolli, ainda é muito cedo para prever se o serviço ou atendimento vão melhorar.
“É importante que as empresas usem o melhor de cada uma delas no atendimento ao consumidor”, explica. 
Para  o presidente do Ibedec (Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo), José Geraldo Tardin, a fusão não será positiva, pois apesar de acreditar que as empresas possam dar conta da demanda, o serviço deve piorar.
Já a coordenadora Institucional da Proteste – Associação de Consumidores, Maria Inês Dolci, acredita que em relação à qualidade, a fusão entre as empresas pode ser positiva para o consumidor, já que facilitará o atendimento da demanda.
“Separadas, as duas empresas não conseguiam dar conta da demanda, mas juntas, elas devem funcionar muito bem”, afirma.

Preço

Em relação ao preço, Maria Inês afirma que embora ainda seja muito cedo para prever se haverá algum grande impacto, pode ser que os preços sofram algum reajuste.
“O consumidor pode não ter as mesmas condições de preço, mas não deve ser um reajuste muito alto, já que uma das condições avaliadas para a efetivação da fusão é a precificação”, completa.
Segundo Tardin, o único fator importante para o consumidor na oferta de serviços é a concorrência, por isso, ele afirma que com a fusão os preços podem ser afetados. “Com a diminuição da concorrência, os preços devem sofrer reajustes”, afirma.
A coordenadora da Proteste aconselha que o consumidor já deve começar a prestar atenção nos preços praticados atualmente, para poder ter base na comparação de preços.
“Caso haja abuso no reajuste de preços, o consumidor deve denunciar o ocorrido aos órgãos de defesa do consumidor”, finaliza.

Direito do consumidor

De acordo com Ferraciolli, a Trip operava alguns voos em conjunto com a TAM, por isso, todos os contratos assinados antes da fusão deverão ser respeitados pela companhia. 

Bariloche e região se preparam para se recuperarem dos prejuízos neste inverno

Imagine uma chuva que, ao invés de gotas de água, fizesse cair do céu pedras quentes. Foi o que aconteceu aqui quando o vulcão Puyehue entrou em erupção”. É assim que o guia turístico Anthony Hawes descreve o dia 4 de junho de 2011 em Villa la Angostura, a 80 km de Bariloche, na Argentina, quando uma camada de cinzas cobriu a cidade.

Quase um ano depois, é perceptível que o incidente ficou no passado. Pelas ruas de Villa la Angostura e de Bariloche não se vê quase nenhum vestígio da chuva de cinzas. Com um olhar mais atento, é possível notar um pouco de areia acinzentada no acostamento das ruas da área rural de Angostura, mas que se confunde em meio à estrada de terra – nada que atrapalhe o passeio ou abale o visual da aconchegante vila turística.

Apesar de não ter causado mortes ou maiores danos estruturais, o fenômeno abalou bastante Bariloche e toda a região, principalmente no quesito financeiro (em 2011, o prejuízo foi de mais de 1,4 milhão de pesos, o que equivale a R$ 640 mil de acordo com o câmbio de 22/05/2012), já que vivem majoritariamente do turismo e não puderam receber visitantes em sua alta temporada por conta do fechamento do Aeroporto de Bariloche.

No entanto, o tamanho do prejuízo é proporcional ao da vontade de se reerguer. Para este inverno, são esperados cerca de 250 mil turistas em Bariloche (40 mil só do Brasil). As ações e os investimentos estão sendo feitos em conjunto pelo Ministério do Turismo da Argentina, Ministério do Turismo da Província de Rio Negro, a Aerolíneas Argentinas e a Emprotur (Ente Mixto de Promocion Turística).

Segundo o prefeito de São Carlos de Bariloche, Omar Goye, 100% da zona turística está limpa e recuperada. Esse feito não se deve somente ao governo, mas toda a população local, que se organizou em mutirões para limpar a cidade (em Villa la Angostura ocorreu o mesmo).

Entre as ações planejadas para impulsionar a recuperação do setor turístico, o ministro do Turismo de Rio Negro, Angel Bosch, anunciou o investimento de três milhões de pesos (cerca de R$ 1,3 milhão) em campanhas de marketing voltadas para a capacitação de agentes de viagens e promoções para o público final.

A companhia aérea Aerolíneas Argentinas também reserva novidades para esta temporada. Em julho e agosto, terão voos diretos do Brasil para Bariloche as quintas, sextas, sábados e domingos. Nas estações de esqui, tanto Cerro Catedral (Bariloche) quanto Cerro Bayo (Angostura) passam por reformas e reestruturações – esta última vai inaugurar um novo teleférico neste inverno.

Outro fator que tem colaborado para que esta temporada seja bem sucedida é o “efeito boca a boca”, que ganha força graças à internet. “As redes sociais têm sido grandes aliadas para propagar as boas notícias da cidade”, garante Leopoldo Tiberi, assessor de Comunicação do Emprotur. No Facebook, por exemplo, a página “Bariloche. Quiero estar ahí” conta com 60 mil fãs.

As estações de esqui também reservam novidades para esta temporada. Cerro Bayo, em Villa la Angostura, passa por reformas para ampliar a área esquiável, além da instalação da primeira gôndola, com capacidade para seis pessoas. Na estação Cerro Catedral, em Bariloche, os turistas também vão encontrar novos meios de elevação, serviços e áreas ampliadas.

Quanto à possibilidade de haver desastres nesta temporada, infelizmente não há garantias. O jeito é ficar de olho na previsão do tempo e na atividade do vulcão Puyehue (no site da NASA há notícias e imagens de satélite sobre o vulcão frequentemente ). Se existe algo que pode aliviar o temor de enfrentar problemas nas férias é que, segundo o ministro de Turismo de Rio Negro, todos estão mais preparados para lidar com uma situação de emergência. “Aprendemos muito com o que houve no ano passado. Não tínhamos um plano B, mas agora estamos organizados para, caso seja necessário, remanejar e transferir os voos para o aeroporto mais próximo”.

Fonte: Uol

Conheça Bariloche com a Zeos Travelling

Gasto com pessoal pode cair para 17% do total de custos da Gol

A redução de pessoal da Gol mostra claramente que o custo deste segmento para a companhia está caindo, podendo passar de 20 por cento do total de custos da empresa para algo entre 17 e 18 por cento do total, segundo o vice-presidente e diretor financeiro da companhia, Leonardo Pereira.

No início de abril, a empresa anunciou que foram efetivadas 131 demissões de funcionários, o que garantia à companhia “um quadro de tripulantes condizente com as necessidades operacionais”. Somando as 46 adesões à licença não remunerada e os 238 pedidos voluntários de desligamento, o quadro da empresa foi reduzido em 208 pessoas.

O número total das demissões a serem feitas pela companhia ainda não foi decidido, mas deve haver uma definição até o final do segundo trimestre, segundo o executivo.

Em entrevista à Reuters durante o Rio Investors Day, Pereira afirmou que a maioria das vagas são de tripulantes, funcionários de call centers e aeroportos, vagas que normalmente possuem alta rotatividade e que não serão repostas. “A maioria das vagas será descontinuada”, disse.

Apesar do segundo trimestre ser sazonalmente pior para as companhias aéreas, a Gol encerrou abril com demanda maior nas comparações anual e mensal e incremento de tarifas, num mês em que a empresa reduziu suas operações domésticas após fechar o primeiro trimestre com prejuízo.

A empresa registrou em abril uma demanda 4,7 por cento maior que em março e 0,8 por cento acima da verificada um ano antes. Enquanto isso, sua oferta de assentos recuou 5,3 por cento sobre março, ficando praticamente estável sobre abril de 2011.

“Estamos com foco nos voos que dão resultados. A indústria tem um problema sério que é a administração da capacidade”, afirmou. Pereira lembrou que a companhia pretende encerrar o ano com 138 aviões, abaixo de 2011, mas não quis comentar o desempenho em maio.

O executivo não se mostrou preocupado com o dólar cotado perto de 2 reais. “Já trabalhamos com o dólar perto de 4 reais. Temos 10 por cento da nossa receita em dólar e o petróleo também está caindo. O importante é a nossa capacidade de adaptação aos mais diferentes cenários”, disse.

Pereira também acredita em um “retorno consistente” do programa de fidelidade Smiles, que a empresa já afirmou que irá consolidá-la como uma companhia independente. A Gol ainda está decidindo os próximos passos em relação a este assunto.

Questionado sobre uma possível oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), ele se limitou a responder “sim” sobre esta possibilidade.

Fonte: Uol

Toscana, o berço do Renascimento

Como seria a Europa, hoje, sem a revolução renascentista? Eis algumas ideias para um roteiro pela Toscana, Itália, região que foi berço do espírito renascentista e onde as transformações no pensamento e na cultura atingiram uma expressão superlativa. Uma viagem com paragens em Florença, Siena, San Gimignano, Pienza, Volterra, Montepulciano, Lucca e Arezzo.
Não falaremos agora da época de Péricles, nem da terra panaténica, criadora da filosofia, do teatro, da epopeia”. O manifesto está lavrado a páginas tantas de um pouco conhecido livro de viagens dado à estampa em 1922. Chama-se “Itália Azul” e nele Jaime Cortesão sintetiza a singularidade toscana, enunciando as circunstâncias e os arquitectos do milagre. “Exactamente na época do pleno desenvolvimento das repúblicas italianas, quando Pisa, Siena, Fiesole, Orvieto e Florença são grandes centros de vida livre, então assume a Toscana perante o resto do globo a sua missão reveladora”.

Essa época de ouro dá os primeiros passos nos séc. XII e XIII, quando Florença inicia uma era de prosperidade, mas foi sobretudo nos séc. XV e XVI e, particularmente, durante o consulado dos Médicis, que a terra toscana se tornou palco de um dos períodos mais luminosos e inventivos períodos da história da humanidade.

Foi um tempo de descobertas – de redescoberta do passado, de viagens e exploração de novos territórios, de averiguação e reconhecimento das leis da natureza – e, sobretudo, de exaltação da centralidade do humano na cultura e no mundo, corporizada na atitude renascentista de recuperação da liberdade de pensamento e do individualismo que os tempos medievais quase haviam eclipsado. A Toscana dá nesse tempo ao mundo, escrevia Jaime Cortesão na sua narrativa, “o mais original grupo de génios com que uma região ilustrou a humanidade, desde o declinar da Hélade”.

Arquitectura e vinhedos

De nenhum exagero enferma tal manifesto, e após uma primeira viagem pela terra toscana qualquer viajante celebrará a infinitude de razões para repetir o périplo. Não apenas Florença e Siena, com os seus riquíssimos acervos museológicos, testemunham a singularidade das realizações artísticas desse tempo que conhecemos por Renascimento e o génio de uma plêiade de espíritos brilhantes – Giotto, Botticeli, Miguel Ângelo, Da Vinci, Piero della Francesca, Filippo Lipi, Donatello, Brunelleschi.

Edifícios medievais em San Gimignano, Toscana

Edifícios medievais em San Gimignano, Toscana

Cada pequeno burgo toscano guarda uma identidade própria e irredutível, e o seu espaço urbano é uma narrativa cativante: San Gimignano, com as suas catorze torres medievais (e o seu precioso vinho branco, o Vernaccia), Pienza e a sua praça central, esboço de uma cidade renascentista encomendada em 1459 pelo Papa Pio II ao arquitecto Bernardo Rosselino, Volterra e a herança etrusca em convívio harmónico com a Renascença, Lucca e a sua curiosa praça redonda, Montepulciano com os seus palácios de inspiração renascentista florentina, ou Arezzo, onde se conservam, na igreja de São Francisco, admiráveis frescos de Piero della Francesca.

E, depois, do passado e do presente falam também, com eloquência, as paisagens toscanas, uma sucessão de colinas suaves, a natureza transformada sempre com um sentido latente do belo, os vinhedos dos Monti del Chianti, de Monterregioni, de Montalcino (pátria do incensado Brunello), de San Gimignano ou de Montepulciano.

Para terminar este (tão) breve roteiro e enunciado do imenso tesouro toscano, retomo o livrinho de Jaime Cortesão, que bem merecia reedição pelos ensinamentos que contém da arte de viajar. “É na Toscana, após um crepúsculo de tantos séculos que o sol da Beleza dealba em toda a claridade e freme ardências e delírios de zénite: ali se descobre novamente o Homem e a Vida, isto é, o que há de formosa realidade, de variedade e graça em toda a Natureza”.

Florença e Siena, vizinhas e rivais

Florença e Siena, os dois principais centros de produção artística da Toscana renascentista, estiveram em lados opostos na guerra fratricida entre guelfos e ghibelinos, apoiantes e adversários do poder temporal do Papa. A vitória da cidade dos Médicis condicionou o desenvolvimento de Siena, o que permitiu conservar, praticamente intacto, o figurino medieval da cidade. Não são necessárias grandes voltas para chegar à bela e luminosa Piazza del Campo, já que a organização urbana faz confluir várias artérias para a praça.

Piazza del Campo em Siena, Itália

A subida ao topo da Torre del Mangia, a segunda mais alta de Itália, é uma das visitas obrigatórias em Siena. Igualmente indispensável é o reconhecimento da que é outra das singularidades do burgo, as expressões pictóricas da Escola de Siena. No Palazzo Pubblico, na sala do Mappamondo, pode admirar-se a famosa «Maestá» de Simone Martini; a capela conserva frescos Taddeo di Bartolo. Além da Pinacoteca, também a catedral, com a sua fachada decorada com mármore de várias cores e com escultura de Jacopo della Quercia, merece demorada visita.

Mais difícil ainda é gizar um roteiro sintético para Florença. Incluem-se os museus, obviamente – com especial acento na Galeria dos Ofícios e no Bargello -, mesmo antevendo o sempre repetido suplício das filas intermináveis. Mas não valem o sacrifício “O nascimento de Vénus” ou “A Primavera”, de Boticceli (entre tantas obras de Rafael, da Vinci, Ticiano e Caravaggio), ambos nos Ofícios, ou o espantoso acervo de escultura (“Baco”, de Miguel Ângelo, “David”, de Donatello…) guardado no sisudo Palácio Bargello?

As suaves colinas da Toscana, Itália

As suaves colinas da Toscana, Itália

E acrescente-se o extenso rol de templos, a começar pelo Duomo, com o campanário assinado por LinkGiotto e a famosa cúpula de Brunelleschi, de impossível arquitectura para os seus cépticos coevos. Depois, Santa Croce e a grácil Santa Maria Novella, mas sobretudo, sim, sobretudo, a emocionante geometria da inacabada San Lorenzo (refeita por Brunelleschi) e da sua divina biblioteca, obra maior de Miguel Ângelo.

Para um roteiro verdadeiramente pessoal, talvez só fosse necessário refazer a ordem de prioridades. E chegar a Florença pela outra margem do Arno, passear o olhar pela cidade a partir do mirante da Piazzale Michelangelo, e subir depois a San Miniato al Monte, a belíssima e bem conservada capela românica que se prepara para fazer (lá para o fim do século) mil anos.

Fonte:Alma de viajante

Conheça a Toscana Com a Zeos Travelling

Comprar remédios no exterior pode virar uma grande dor de cabeça

Comprar medicamentos no exterior, especialmente os de tarja preta, não tem, na maioria das vezes, as facilidades encontradas aqui no Brasil. As receitas (em inglês) devem conter o nome genérico do medicamento e ainda assim, na maioria dos países, pode ser necessário passar por uma consulta médica para uma confirmação dessa receita.

Assim, se for possível, é mais prudente levar o estoque necessário para o tempo de viagem e estar preparado em caso de precisar passar por um médico. Informe-se sobre qual o tipo de atendimento que o seu plano de saúde dá para viagens ao exterior. Se você não tem um plano de saúde ou se ele não puder ser usado fora do país, faça um seguro-viagem com cobertura de despesas médico-odontológicas, internações e transporte em caso de acidentes ou emergências. O custo pode ser menor do que você imagina.

E agora uma surpresa: o SUS tem convênio firmado para o atendimento médico na rede de saúde pública em seis países: Argentina, Chile, Uruguai, Espanha, Itália e Portugal. Para isso, é necessário ser contribuinte do INSS, ir à sede estadual do Ministério da Saúde e obter as informações necessárias para ter esse benefício. Em São Paulo, por exemplo, ligue para 11-3291-8973.

Prevenir é mesmo melhor do que remediar.

Banner Buenos Aires

Nesta sexta-feira (18), a entrada em todos os museus de São Paulo será gratuita

Nesta sexta-feira (18), os paulistanos não terão desculpas para não visitarem os museus da cidades. Na data comemora-se o Dia do Museu e para celebrar a entrada é gratuita em todos os museus estaduais.

As 20 horas da próxima sexta-feira, a Casa das Rosas, na Avenida Paulista, irá realizar uma mesa redonda sobre o tema “Museus – casa e acervos literários” com a participação de Myriam Fraga da Fundação Casa de Jorge Amado em Salvador, e Elaine Vasconcelos Leitão da Fundação Casa Rui Barbosa/Rio de Janeiro.

Já para o amantes de esportes, a entrada gratuita no Museu do Futebol acontece a partir desta quinta-feira e também terá palestra sobre o tema “Museus em um mundo de transformação – novos desafios, novas inspirações”, cujo o objetivo é mostrar como anda a evolução para atender as novas demandas do público. A palestra acontecerá das 16h às 18h, com a participação do curador do Museu do Futebol, Leonel Kaz e o filósofo e professor da PUC, Rogério da Costa.

Museu da Imigração

Mesmo em reforma, o Museu da Imigração também participará da semana de celebração com uma exposição virtual com depoimentos de moradores de vários bairros da cidade de São Paulo, abordando seus lugares de memória e a construção das identidades na metrópole.

No entanto, a colaboração do Museu da Imigração virá um pouco mais tarde, a partir do dia 28, no site www.museudaimigração.or.br