Propuesta para viajarsempre.com

Mi nombre es Patricia Serna y me pregunto si usted estaría interesado en intercambiar enlaces, a cambio le puedo facilitar un enlace en mi página:

cbc-worldwide(punto)com PR2

Si usted está interesado, por favor envieme su información (URL y Título) para agregarlo en mi página. Luego, estaría enviandole la confirmación que su enlace esta agregado en mi website adjuntando los datos que me gustaría que Ud. añada en su sitio para completar el intercambio.

Quedo a la espera de tu respuesta.

PD – Si ud. no desea recibir más solicitudes de este tipo por favor respondaa este mail con el asunto "No mas correos".

Propuesta para viajarsempre.com

Hola,

Mi nombre es Martha Villegas y me pregunto si usted estaría interesado en intercambiar enlaces, a cambio le puedo facilitar un enlace en mi página:

zwnef3c2(punto)com PR3

Si usted está interesado, por favor envieme su información (URL y Título) para agregarlo en mi página. Luego, estaría enviandole la confirmación que su enlace esta agregado en mi website adjuntando los datos que me gustaría que Ud. añada en su sitio para completar el intercambio.

Quedo a la espera de tu respuesta.

PD – Si ud. no desea recibir más solicitudes de este tipo por favor responda este mail con el asunto "No mas correos".

Ah,Paris!

Por Fabíola Paiva
Um dia desses um amigo me chamou de xenomaníaca. Minha primeira reação foi a mesma que você teve: “Que nome feio! O que é isso?”. Aí ele foi explicar que, segundo o dicionário Aurélio, xenomania é a paixão pelo estrangeiro, fanatismo por viagens, uma curiosidade intensa por conhecer outras culturas, lugares e povos. Depois desta explicação, encarei essa palavra feia como um adjetivo, um elogio mesmo. Agora, adoro falar que sou uma xenomaníaca!

E a última viagem que tive a oportunidade de realizar foi à Paris. Um pouco clichê, né? Mas, a capital francesa está na lista dos 50 lugares que devemos conhecer, sendo assim, precisava resolver isso logo. Afinal, a lista é bem grande e o tempo passa rápido. E foi uma deliciosa experiência. Paris é tudo que todo mundo fala, e ainda mais. A cidade luz é realmente incrível quando anoitece (no verão você só vê a Torre acesa mais ou menos às 22h30) e durante o dia ela exala história, sofisticação, charme e bom gosto.
A viagem pra lá precisa começar muito antes da gente aterrissar no Charles De Gaulle. Paris oferece uma lista interminável de atrações incríveis! São diversos museus, jardins, shows, lojas e mais um tanto de coisas que precisam ser pesquisadas antes de chegarmos lá. O bacana é tentar fazer um roteiro que abrace ao máximo a cidade, sempre valorizando os passeios feitos a pé.
A primeira sugestão é: perca horas e até noites de sono no blog Conexão Paris. Comandado pela mineira Maria Lina, que vive há quase 30 anos na cidade,lá podemos encontrar informações interessantes e exclusivas sobre a capital francesa.São dicas que fazem a gente querer chegar logo por lá, como onde encontrar um vinhedo dentro de Paris ou qual o melhor pain au chocolat.

Ficamos hospedados em um bairro relativamente novo, chamado Bercy. Era por lá que no final do século XIX o vinho produzido na França chegava à capital. Um lugar super charmoso, um pouco longe dos pontos turísticos, mas que proporciona um passeio delicioso.

Além de uma boa caminhada no parque, que tem cerca de 13 hectares, você também poderá visitar o Bercy Village, um shopping a céu aberto com restaurantes tradicionais e lojas ótimas! O bairro ainda recebe várias linhas de metrô, o que possibilita um rápido deslocamento para outras regiões da cidade.O primeiro passeio que fiz e, sem dúvidas, o mais inesquecível foi à Versalhes. Quando estiver criando seu roteiro, não deixe de incluir esta região! Mas, por favor, não fique restrito a visita ao Château e aos jardins do castelo. Tente se organizar para ficar um dia inteiro e aproveitar para conhecer as ruas de Versalhes, cidade que foi um dos berços da Revolução Francesa.

Outra dica imperdível é uma caminhada pela região de Montmartre. É lá que fica a famosa Sacré-Coeur, uma das igrejas mais bonitas de Paris. Também é onde está instalado um dos cabarés mais famosos do mundo, o Moulin Rouge, que foi inaugurado há mais de 100 anos. Um dos passeios mais fascinantes na região é pela Rue des

Abbesses, um cantinho charmoso, com cafés convidativos (observe que as cadeiras sempre ficam viradas para a rua) e ótimas lojas, muito caras, mas com peças lindas. Enquanto caminha por ela, não resista aos encantos da sorveteria Amorino, uma legítima gelateria italiano que conquistou Paris não só pelo sabor, mas pela apresentação: osorvete é servido em forma de rosa na casquinha.

No dia seguinte, escolha passear pela Ile de Saint-Louis, uma das regiões mais caras e bonitas de Paris. Além da vista deslumbrante, você também vai se apaixonar pela La Cure Gourmande, uma loja de biscoitos e doces que mais parece uma casa de bonecas. Logo depois, é a hora de experimentar o sorvete mais famoso da França: o Berthillon. Além da casa tradicional, fundada em 1954, você ainda encontra o crème glacée em diversas lojinhas autorizadas. Se você for à Paris no verão, certamente irá encontrar um grande fila em todos os lugares que revendem Berthillon ,mas,o sorvete vale a espera.

E caminhe sempre. Paris é um lugar para se descobrir a pé. Observando cada prédio, cada ruela, cada detalhe. Quando cansar da caminhada, não hesite em parar em um dos vários jardins da cidade. Se você estiver por lá no verão, verá muitos parisienses nas espreguiçadeiras, aproveitando o sol. Faça como eles, mas nunca deixe de observar.O meu favorito foi o Jardin des Tuileries, que liga o Musée du Louvre a Place de la Concorde.

Paris é assim. Cheia de surpresas inesquecíveis. Você não precisa ficar limitado a Torre Eiffel, a Champs-Élysées, ao Museu do Louvre e a Galeria Lafayette. É certo que esses passeios são obrigatórios e todo mundo precisa fazer. Mas, aproveite os outros dias para descobrir a sua Paris.

Para se encantar com a beleza e imponência da Ópera, ou com a ponte dos cadeados, cheia de juras de amor. Também faça um passeio de Bateaux Mouches pelo Rio Sena e veja o entardecer de Paris. A vista da Notre Dame, com o pôr-do-sol, é estonteante. E, claro, visite a Ladurée e experimente muitos macarons coloridos.

Fabíola Paiva é jornalista, pós-graduada em moda e pós-graduanda em comunicação digital. Ela escreve diariamente no

Dicas para curtir um bom show

Tente chegar cedo ao local do show, mas por maior que seja sua ansiedade, evite chegar MUITO cedo e principalmente dormir em filas fora do estádio/local.
Se você fizer isso, estará tão cansado(a) quando o show começar que não vai aproveitar direito o que um espetáculo tem a lhe oferecer. Quatro horas de antecedência são suficientes para se conseguir um bom lugar em grandes concertos.

– Se você está indo ao seu 1º show ou é inexperiente, jamais tente ficar próximo à grade de segurança. Você poderá ser pressionado contra ela e acabar retirado pela segurança do local.
Tente se manter nas laterais. É mais fácil para sair e caso ocorra algum acidente, você não ficará perdido no meio do público.

– Guarde bem o seu dinheiro pois é muito frequente a perda de carteiras nestes eventos. Uma boa dica é espalhar o dinheiro entre vários bolsos e a carteira, assim, você não concentra tudo em um local só e as chances de voltar pra casa duro são menores.

– Tomar bastante líquido antes do evento é fundamental (mas tome cuidado para não ter que ir ao banheiro justamente na hora do show).

– Não coma comidas pesadas como feijoada, por exemplo. Dê preferência a alimentos com pouco molho. Frango e peixe são ideais.

– No dia do show leve consigo umas barras energéticas, água e só! Evite comer nas imediações do local antes do show. Deixe para fazer isso na saída.

– Não abuse de bebidas alcóolicas. Se for beber, tente fazer isso depois do show. A segurança do evento costuma retirar pessoas “alteradas” do local e levá-las para a enfermaria.

– Caso deseje ver o show de um lugar próximo ao palco, a melhor estratégia para fazer isso é começar em um lugar mediano e ir passando para frente aos poucos. Chegar muito cedo e ficar logo na frente é aconselhável apenas aos mais experientes.

– Fique atento às confusões no início da apresentação. Na execução da 1ª música é o momento em que o público está mais agitado.

– Mesmo que você seja experiente em shows, o leve aquela sua namorada inexperiente para muito próximo do palco. Caso haja alguma confusão, ela pode se machucar ou pedir para sair de lá e você perderá parte do show.

– Tenha em mente que o público não gosta de pessoas que sobem no ombro de alguém. Se fizer isso, seja breve.

– Compre seus ingressos com antecedência. Evite bilhetes de cambistas, pois os mesmos podem ser falsos.

– Use roupas leves e vá bem calçado(a). Evite chinelos e sandálias. É mais higiênico e obviamente sempre tem um “mala” pisando no seu pé durante o show.

O que levar / não levar – Muitas pessoas tem dúvidas sobre o que pode ou não ser levado para um grande evento. Abaixo destacamos os principais itens que podem ou não ser barrados na entrada:

– Água:

Não leve garrafas d´água. Principalmente de vidro ou de 2L de plástico. Elas serão facilmente apreendidas na entrada. Uma boa dica é levar copos de água descartáveis, assim, se você não puder entrar com eles, pelo menos poderá tomar rapidamente toda a água.
Outra alternativa é levar água em saquinhos de sacolé (também chamados de “chup-chup” ou “geladinho” em algumas regiões).

– Refrigerante, suco e afins:

É muito improvável que qualquer outro tipo de bebida, que não seja água, possa entrar nas dependências do local do evento. De qualquer forma, a dica dos saquinhos de “sacolé” também pode dar certo com estes itens.

– Máquinas fotográficas:

Obviamente as máquinas fotográficas acabam entrando de um jeito ou de outro. Tome cuidado com máquinas semi-profissionais. Elas são mais visadas e tem grandes chances de serem barradas.
Geralmente nos grandes eventos a produção manda tirarem as pilhas das máquinas e liberam sua entrada, portanto, se você pretende levar pilhas, dê preferência às descartáveis que são mais baratas do que as pilhas recarregáveis.

– Filmadoras:

É altamente recomendável que você NÃO leve sua filmadora. Normalmente elas não são permitidas, salvo em raras ocasiões. Se você tiver uma máquina fotográfica que faça filmagens, dê preferência a ela.

– Telefones Celulares:

Geralmente são permitidos todos os tipos de celulares. Inclusive os que filmam ou tiram fotos. A organização do evento não tem como controlar a entrada de todos os telefones e dificilmente sua entrada é barrada.
DICA: recomendamos que você tenha sempre muito cuidado com este item para não quebrá-lo ou perdê-lo. Se você pretende ficar mais à frente no show, uma boa opção é deixar o aparelho na mão de alguém que você confie e que ficará mas afastado. Se seu aparelho tiver espaço para prender alças, tanto de mão quanto de pescoço, use-as.

– Correntes, anéis, pulseiras, brincos, piercings e afins:

Geralmente os locais de shows proíbem entradas de objetos muito grandes e/ou cortantes. Objetos metálicos não são uma boa idéia, a menos que sejam muito pequenos.
A maioria dos piercings e brincos não causam problemas, mas é bom ficar atento. Pulseiras e anéis pontiagudos tem grandes chances de serem barrados, bem como a maioria das correntes de metal muito longas.

Fonte:thekingw.wordpress.com

Este ano a rainha do Pop Music confirma sua apresentação no Brasil! MADONNA regressa a capital paulista divulgando sua nova turnê MDNA tour Madonna promete uma apresentação que vai desde singles antigos como “Like a Virgin” até “Gimme all your Luvin“.Garanta agora mesmo seu ingresso com a Ticketbis e assista a esse grande show!

Quer ir ao show da Cantora? A Zeos Travelling tem um pacote exclusivo para você que é fã e não quer perder este mega show!!!

Acesse o link e garanta já o seu: Pacote Madonna Tour Brasil 2012

Terceiro aeroporto em SP é viável apenas no longo prazo, diz EBP

SÃO PAULO (Reuters) – A possibilidade de criação de um terceiro aeroporto dentro da região metropolitana de São Paulo não deve ser descartada, mas é totalmente inviável no curto prazo. Além da possibilidade de expansão dos aeroportos já existentes, um novo local prejudicaria o atual sistema, segundo o diretor-geral da Estruturadora Brasileira de Projetos (EBP), Helcio Tokeshi.

A EBP, formada por BNDES e grandes bancos, foi contratada pelo governo federal para auxiliar na elaboração dos projetos dos leilões de concessão dos aeroportos de Guarulhos, Campinas (SP) e Brasília, realizado em 6 de fevereiro.

Segundo o executivo, existe uma importante limitação física para a implantação de um terceiro aeroporto. “Existem as rotas de aproximação e isso tudo é controlado pelo Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) e é resultado de estudos técnicos. Não é uma decisão que você faça simplesmente por uma conveniência no solo”, afirmou Tokeshi a jornalistas durante evento do setor aeroportuário, em São Paulo.

“Existe um conjunto de normas e técnicas e essa questão técnica indica que não faz sentido um terceiro aeroporto no espaço aéreo do São Paulo hoje”, prosseguiu. Isso porque, de acordo com o diretor-geral, ao criar um terceiro aeroporto as rotas de aproximação necessárias passam a interferir com a capacidade e as rotas nos aeroportos já existentes.

“Criar esse terceiro aeroporto na verdade diminui o sistema como um todo ao invés de aumentar… é uma coisa que não faz sentido se você tem a alternativa de simplesmente expandir onde já tem aeroporto.”

Por conta destes fatores, o diretor-geral da EBP garantiu que não está nos planos do governo federal e nesse momento “?nem se discute” um terceiro aeroporto na região. “Até porque a expansão agora planejada em Guarulhos e Viracopos vai ser capaz de atender de maneira mais do que adequada o crescimento da demanda projetada para os próximos 20, 25 anos.”

No médio e longo prazo, contudo, um terceiro aeroporto pode ser tornar não apenas viável como também fundamental. “Depende de quão rápido a demanda irá crescer… Foi feita uma projeção de crescimento da demanda que indica que esse é um problema que o governo terá, mas terá lá na frente, no médio e longo prazo. Exatamente quanto tempo, isso ninguém sabe. Mas sabe-se que é razoável supor que não vai acontecer logo”, enfatizou.

Ainda de acordo com Tokeshi, as empresas que venceram os leilões de concessão fizeram estudos próprios e têm conhecimento do setor, “?e chegaram exatamente à mesma conclusão que o Decea, porque é uma questão técnica”.

“Para quem participou ativamente do processo de licitação isso não é novidade. Nós falamos abertamente para todos os concorrentes”, afirmou.

(Por Carolina Marcondes)

Fonte: Uol

“Turismo social” é jeito de conhecer o mundo fazendo boas ações”

Há três anos, o relações públicas Thiago Pereira, 30, largou um emprego estável em uma multinacional japonesa para fazer trabalho voluntário no interior de Moçambique, na costa leste da África. A vida paulistana, agitada e repleta de confortos, ficou totalmente para trás.?Eu acordava no meu vilarejo africano e, às vezes, não tinha nem água para beber?, relembra ele. ?A infraestrutura do lugar era péssima, mas era exatamente esse choque de realidade que eu estava buscando?.

Getty Images

  • Carente de riquezas, mas repleta de atrativos culturais, a África é um dos lugares que mais atraem viajantes voluntários

Thiago conta que, em sua viagem, queria fazer uma ?imersão total? na cultura da África. Seu programa de voluntariado durou 14 meses e, durante esse tempo, ele passou por um curso intensivo sobre o continente negro e, logo em seguida, começou a trabalhar em projetos de capacitação para comunidades rurais de Moçambique. ?A cada mês, passávamos duas semanas desenvolvendo soluções que pudessem melhorar a vida nos vilarejos, como construção de cisternas e prevenção de doenças epidêmicas. Nas outras duas semanas, íamos a campo colocar essas ideias na prática, sempre em parceria com a população local?, relata ele.

A experiência, segundo Thiago, foi árdua, mas edificante. ?Peguei malária e não consegui levantar da cama por uma semana. Mas vi meu trabalho se refletir positivamente na vida de um monte de gente, e ainda pude viajar para lugares maravilhosos da África. Não trocaria essa experiência por nada?, afirma.

Por uma boa causa

Unir turismo a causas sociais não é, atualmente, oportunidade para poucos. Hoje, no Brasil, há uma série de organizações que levam pessoas a países remotos do mundo para fazer trabalho social. A duração dos pacotes varia, em média, de duas semanas a um ano, e os empregos disponíveis são variados: o voluntário pode vir a trabalhar com crianças carentes na Índia, com a preservação do meio ambiente no Nepal ou até com elefantes órfãos na Namíbia.

Marcel Vincenti/UOL

  • As crianças são o foco de muitos trabalhos sociais disponíveis na Índia

A experiência, como é de se esperar, não é gratuita: os pacotes vendidos no Brasil têm preço inicial médio de US$ 1.300 e geralmente incluem hospedagem (quase sempre na casa de uma família local), alimentação integral, treinamento e locomoção dentro do país de destino. Passagem de avião, seguro de saúde e gastos com vacina são pagos à parte.

Para participar dos programas de voluntariado, os interessados devem ter pelo menos 18 anos, conhecimento intermediário de inglês e disposição para trabalhar em lugares com pouca (ou nenhuma) infraestrutura. Espírito de aventura, é lógico, também não pode faltar.

Abaixo, algumas opções de trabalho voluntário oferecidas por agências que operam no Brasil:

África do Sul: Voluntários que escolhem a África do Sul como destino podem ensinar crianças carentes a surfar, trabalhar em reservas naturais ao lado de grandes felinos ou ajudar uma organização que cuida de macacos doentes e machucados. Preço para quatro semanas de voluntariado: US$ 1340. www.experimento.com.br

Eduardo Vessoni/UOL

  • Na África do Sul, é possível trabalhar em reservas naturais recheadas de grandes felinos

China: O país asiático oferece diversos tipos de atividades sociais, como serviços em educação e desenvolvimento de planos financeiros para ONG?s iniciantes. Para participar de alguns programas, o voluntário necessita estar matriculado em uma universidade brasileira. Preço para seis semanas de voluntariado: a partir de R$ 900. www.aiesec.org.br

Gana: Neste país africano, é possível trabalhar em orfanatos, instituições de saúde e projetos de educação de comunidades rurais. Os voluntários passam por treinamento de dois dias em Acra, capital do país, e depois são encaminhados para seu local de trabalho, que pode ser tanto em Acra como no interior de Gana. Preço para quatro semanas de voluntariado: US$ 1470. Mais informações: www.experimento.com.br

Guatemala: Trabalho em entidades que cuidam do meio ambiente, dos direitos da mulher e de pessoas com deficiência física. O voluntário fica hospedado em casa de família e recebe aulas de espanhol e sobre cultura guatemalteca. Preço para oito semanas de voluntariado: US$ 1975. Mais informações: www.experimento.com.br

Índia 1: Entidades do Estado de Goa (que abriga algumas das praias mais belas da Índia) estão abertas para receber voluntários que queiram ajudar na educação das crianças locais. Lecionar em escolas e orientar crianças com deficiências são atividades que fazem parte do trabalho. Pacotes a partir de aproximadamente US$ 2000. Mais informações: www.ci.com.br

Índia 2: Trabalhos com ensino de inglês em comunidades carentes, com serviços de saúde em favelas e com preservação do meio ambiente. O projeto pode ser realizado tanto em grandes cidades como em vilas do interior do país. Preço para sete semanas de voluntariado: US$ 2240. Mais informações: www.experimento.com.br

México: Em terras mexicanas, o voluntário pode trabalhar com recuperação de culturas tradicionais do Estado de Oaxaca, com projetos de ecoturismo, com crianças deficientes e com profissionalização de mulheres da região de Chiapas. Preço para seis semanas de voluntariado: US$ 1780. Mais informações: www.experimento.com.br

Namíbia: Neste país africano, é possível trabalhar em santuários ecológicos como o Desert Elephant (que cuida de elefantes órfãos) e no Noah?s Ark, um ?orfanato? que cuida de animais como cheetahs e babuínos. Preço para duas semanas de voluntariado: aproximadamente R$ 3.500. Mais informações: www.ci.com.br

Marcel Vincenti/UOL

  • No Nepal, voluntários podem desenvolver diversos trabalhos sociais com a população local

Nepal: Um dos países mais pobres da Ásia, o Nepal oferece trabalho voluntário nas áreas de educação de crianças órfãs, preservação do meio ambiente e nutrição da população. Preço para 12 semanas de voluntariado: US$ 2380. Mais informações: www.experimento.com.br

Peru: Organizações que cuidam de crianças carentes das cidades de Cusco e Lima são algumas da opções de trabalho no Peru. Centros de saúde e abrigos de animais também estão abertos para receber voluntários no país andino. Preço para quatro semanas de voluntariado: US$ 1542. Mais informações: www.ci.com.br

Quênia: O país africano oferece muitos trabalhos voltados para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, especialmente a AIDS. Para participar de alguns programas, o voluntário necessita estar matriculado em uma universidade brasileira. Preço para seis semanas de voluntariado: a partir de R$ 900. www.aiesec.org.br

Fonte:Uol


Hotel do Guarujá dá dia extra de hospedagem durante os feriados

Localizado na praia da Enseada, no Guarujá (SP), o Casa Grande Hotel Resort & Spa está dando um dia extra de hospedagem para as pessoas que, durante qualquer feriado, passarem pelo menos duas noites em um de seus aposentos. Batizada como “D+1”, a iniciativa visa ajudar o turista a escapar do trânsito na volta a São Paulo.

Com a vantagem, em vez de ter que pegar o carro para subir a serra no domingo à tarde, o hóspede poderá dormir gratuitamente no hotel entre o domingo e a segunda-feira e, teoricamente, voltar para casa com menos carros pela frente.

O serviço será lançado oficialmente no feriado prolongado do Dia do Trabalho, que vai do dia 27 de abril até 1º de Maio. No apartamento standard, o pacote para quatro diárias custará a partir de R$ 1.264,00 por pessoa com café da manhã e jantar. Com o pacote, o hóspede poderá ficar gratuitamente no hotel entre os dias 1º e 2 de maio.

A mesma promoção será aplicada nos outros feriados do ano.

Doceria vira atração em Nova York com releitura do tradicional arroz doce

O universo gastronômico de Nova York, nos Estados Unidos, tem os seus clássicos, como o cachorro-quente e o pretzel, mas também tem a sua excentricidade. Localizada na região Downtown, em Manhattan, a Rice to Riches é uma doceria especializada em arroz doce. Nela, o tradicional “rice pudding” ganha ingredientes como chocolate, nozes, coco, baunilha e pode até ter o gosto de outros doces, como tiramisu e rabanada.

Cada sabor ganha um nome criativo, como o Sex Drugs and Rocky Road, que leva chocolate e nozes. Outro diferencial da doceria é a decoração. Várias plaquinhas com frases politicamente incorretas se espallham pela loja e vão parar até no banheiro.

Em uma delas, pode-se ler: “Quão longo um minuto é depende de qual lado da porta do banheiro você está”. Em outra, fica claro que a modéstia não é o forte da casa: “Rice to Riches é uma prova de que Deus nos ama e quer que nós sejamos felizes”. Tudo é sempre em tom de brincadeira, a começar pelo nome da casa que, em uma tradução livre, significa algo como “arroz para riquezas”.

Ao entrar no local, o cliente percebe que os doces são distribuídos como em uma sorveteria. É só escolher o sabor e pedir. Se quiser, ainda dá para provar. Há variadas opções de tamanho da porção, que costuma ser bem generosa, dando para dividir por dois até mesmo a que é sugerida para apenas uma pessoa.

Rice to Riches fica em Downtown, Manhattan:

Fonte: Uol

Conheça a cidade de Nova Iorque pela Zeos Travelling

Lembrete: Fred Oliveira convidou você para entrar no Facebook…

facebook
Olá,
Fred quer ser seu amigo no Facebook. Não importa a distância entre você e seus amigos e familiares, o Facebook pode ajudar vocês a se manterem conectados.
Outras pessoas solicitaram sua amizade no Facebook. Aceite este convite para visualizar suas solicitações de amizade anteriores.
Fred Oliveira
340 amigos · 32 fotos · 65 publicações no mural · 14 grupos
Camalleão Comunicação E Estratégia
Works at Camalleão Comunicação & Estratégia · Divinópolis
1413 amigos · 10 fotos · 11 publicações no mural · 26 grupos
Vila Capivari
Campos do Jordão, Brazil
283 amigos · 1 publicação no mural · 1 grupo
Aceitar convite
Ir para o Facebook
Essa mensagem foi enviada para freds.oliveira.viajarsempre@blogger.com. Caso não queira receber estes e-mails do Facebook no futuro ou não que seu endereço de e-mail seja usado para sugestões de amigos, clique em: cancelar inscrição.
Facebook, Inc. Attention: Department 415 P.O Box 10005 Palo Alto CA 94303