Criança não paga hospedagem em Aruba, no Caribe, nas férias de Julho



A ilha de Aruba, no Caribe, reúne todos os ingredientes que um destino caribenho deve ter para férias perfeitas em família: praias belíssimas, atrações para todas as idades, uma infinidade de esportes náuticos e de aventura e hotéis, restaurantes e spas de classe internacional. Em julho, está ainda mais atraente, com mais opções de voo e pacotes especiais onde uma criança não paga hospedagem.


Destino adorado por brasileiros – recebe 28% a mais de brasileiros todos os anos –, Aruba tratou de reeditar o programa “One Cool Family”. Com ele, as famílias brasileiras que visitam a ilha podem hospedar uma criança até 12 anos grátis no mesmo apartamento com dois adultos. Ocorre que alguns hotéis participantes da promoção estenderam a idade de “criança” para 17 anos.

O “One Cool Family” – válido até 30 de setembro – não garante somente a hospedagem da criança grátis. Os jovens ganham café da manhã, atividades complementares nos hotéis, ingresso de um dia na De Palm Island e a família ganha um presente no hotel no check-in, descontos em passeios off-road, em aluguel de carro, entre outros facilidades. Informações no site www.aruba.com (com versão em português).


Ilha Feliz – Os visitantes de Aruba logo descobrem o motivo de as placas dos automóveis terem gravado One Happy Island (Uma Ilha Feliz) no lugar do nome das cidades. A hospitalidade arubana, o clima de verão o ano inteiro, as festas e ritmos caribenhos e as fachadas coloridas indicam dias felizes pela frente.


A tal felicidade gravada nas placas dos carros será conquistada ao longo da hospedagem e pode começar a ser descoberta sem fazer absolutamente nada numa das belíssimas praias – o mar do Caribe dispensa apresentação – pipocadas por espreguiçadeiras. Em Palm Beach, onde estão quase todos os hotéis e resorts, não será preciso levantar nem para pedir um drinque ou fazer uma massagem, basta esticar o braço.


Lazer e diversão no mar – Vencida a preguiça, o visitante irá descobrir outro motivo que faz Aruba estar sempre na moda entre os destinos caribenhos. Antes de embarcar, são apresentados alguns deles: está fora da rota dos furacões e não exige visto para brasileiros. Para entender os demais, serão necessários alguns dias e alguma disposição.


A paisagem “cartão-postal” da ilha merece ser explorada, além de apreciada. Afinal, guarda muitas surpresas e belezas, por mar e por terra. Entre as principais atividades estão o mergulho e o snorkeling. Seja por seus recifes de corais ou pelos navios naufragados em sua costa, especialistas apontam Aruba como um dos melhores lugares do mundo para o mergulho. Operadoras locais oferecem passeios de barco combinados com estas atividades.


Aventura – A costa rochosa do nordeste (a parte selvagem) revela porque Aruba é um destino caribenho diferente dos demais. As atividades de lazer não estão limitadas às praias e ao mar. O interior de Aruba merece algumas horas de atenção e apresenta paisagens sem igual, com seus cactos, babosas (aloe vera) e formações rochosas – baixos índices de umidade e chuvas anuais de apenas 60 mm explicam o interior desértico.


Para explorar a parte selvagem, empresas levam os turistas das mais variadas e aventureiras formas, como de quadrimoto, a cavalo ou em veículos off-road. Pode-se explorar cavernas, piscinas naturais, ruínas de minas de ouro e locais que contam um pouco da história da ilha, como o Farol Califórnia e a primeira capela de LinkAruba.

Grande parte das atrações está no Parque Nacional de Arikok, uma reserva ecológica preservada de 34 quilômetros quadrados, semelhante a um deserto e composta por uma grande faixa de terra no interior da costa nordeste.


Golfe e Vida Noturna – Os amantes de golfe, por exemplo, – esporte entre os mais praticados na ilha – têm duas opções; um campo com nove buracos e outro com 18. Cercados por lagunas tropicais e com vista para o belo mar do Caribe, todos considerados desafiadores pelos especialistas.


A vida noturna da ilha também reserva muitas atrações. Cassinos, danceterias, casas de shows e bares animados reúnem o melhor do estilo caribenho. Para não fazer feio nas pistas, os visitantes podem, em alguns hotéis, aprender um pouco da ginga da salsa, do merengue, da rumba… Excursões, passeios e diversas atividades monitoradas garantem a recreação das crianças.


Quem Leva – O aumento no número de vôos para a ilha consolida a expectativa de que Aruba está sempre na pauta de viagens dos brasileiros e a saudável concorrência faz os preços caírem, tornando o destino ainda mais irresistível. A partir de 4 de julho a Gol/Varig passa a voar aos sábados a partir de Brasília e aos domingos a partir de São Paulo com escala em Caracas, na Venezuela.


A Avianca voa diariamente com conexão em Bogotá e a Copa tem vôos semanais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Manaus com troca de aeronave na Cidade do Panamá. Todas as grandes operadoras do País vendem pacotes para a ilha e o que interfere no preço é a categoria do hotel e o número de noites escolhido, além dos opcionais. Separamos algumas opções para as sonhadas férias no Caribe.

Fonte: Uol


Companhias aéreas orientam consumidores sobre fim do horário de verão

SÃO PAULO – A partir da zero hora do domingo do dia 26 de fevereiro, os relógios foram atrasados em uma hora. Foi o fim do horário de verão, que vigorou nos estados do Centro-Oeste, Sudeste e Sul e na Bahia desde o dia 16 de outubro de 2011.

Com uma hora a mais, os passageiros de viagens aéreas devem ficar atentos aos novos horários.

De olho nas passagens
Por conta disso, as companhias aéreas dão orientações aos passageiros com voos marcados para a data.

De acordo com a TAM, os voos operados em cidades do Norte e Nordeste terão seus horários de chegada e partida prorrogados em uma hora em relação ao horário local em vigor. As cidades são Rio Branco (AC), Maceió (AL), Macapá (AP), Manaus (AM), Fortaleza (CE), Imperatriz (MA), São Luís (MA), Belém (PA), Marabá (PA), Santarém (PA), João Pessoa (PB), Petrolina (PE), Recife (PE), Teresina (PI), Natal (RN), Porto Velho (RO), Boa Vista (RR), Aracaju (SE) e Palmas (TO).

Segundo a companhia, os bilhetes para embarque a partir de zero hora de 26 de fevereiro já foram emitidos nos horários ajustados. Os passageiros que tiverem dúvidas podem confirmar os horários de seus voos pelo site da companhia (www.tam.com.br), call center (0800 5705700), lojas da TAM ou por meio de agentes de viagem.

A Gol informou que mantém sua malha atualizada de acordo com os horários praticados em cada estado. Em nota, afirmou que as vendas de passagens já ocorrem considerando as peculiaridades de cada local, portanto, não haverá passageiros impactados com a mudança. Em caso de dúvidas, a empresa recomenda que o passageiro confirme o horário de seu voo na sua Central de Relacionamento (0300-115-2121).

Já a Azul também explicou, em nota, que os horários de seus voos para todo o Brasil não irão sofrer alteração, por conta do término do horário de verão.

Segundo a companhia, os bilhetes vendidos anteriormente para embarque a partir da zero hora do domingo foram disponibilizados com os horários ajustados para o término do horário de verão.

Fonte: Uol

Vou para o exterior, devo fazer um seguro?

A ideia era partir de Londres rumo a Stratford-upon-Avon, na Inglaterra, para assistir a um espetáculo do Rei Lear. “No trem, arranhei a córnea ao coçar o olho”, conta o gerente de produtos Carlos Campos de Souza. Mas ele precisava aproveitar ao máximo o passeio porque na manhã do dia seguinte deixaria a cidade.

“Fiz de conta que nada aconteceu e fui ver a casa onde Shakespeare nasceu, sua tumba, a casa da filha… E o meu olho foi fechando e doendo cada vez mais, até chegar ao ponto em que eu não podia ficar com ele nem aberto nem fechado”. Na hora da peça, só lágrimas – não por conta da encenação, mas em função do machucado.

Em casa, a maioria das pessoas saberia o que fazer diante de uma situação parecida. Mas em terras distantes, cuidados indispensáveis de última hora podem depender de preparativos organizados antes, como o seguro viagem. “Ao sair da peça, telefonei para o seguro e eles me indicaram um hospital”, explica Souza. “Chegando lá, não precisei do seguro: a recepcionista me explicou que, estando na Inglaterra, eu receberia atendimento de qualquer maneira. Mas e se eu estivesse na Hungria?”, brinca ele, que, ao menos, foi reembolsado pelas ligações feitas até resolver o problema.

Contratando um seguro viagem

Há vários tipos de seguro viagem. Geralmente, quando o pacote está pronto, a empresa já inclui o melhor tipo de seguro. Mas quem vai contratar o seguro por conta, precisa ver qual o mais adequado a sua viagem. “Há seguros específicos para viagens marítimas, para quem vai praticar esqui, para a Europa, seguro estudante, entre outros”, explica Kadu Silva, sócio-proprietário da agência de viagens Maia Tour.

Em geral, o seguro viagem cobre despesas de atendimento médico, no Brasil e no exterior, e opções como adiantamento para assistência jurídica, ressarcimento por perda de bagagem ou documentos e cancelamento de viagem. “Os serviços podem incluir auxílio para casos como falecimento ou a necessidade de enviar outra pessoa, como um parente, até o local do assegurado”, ressalta Silva. Ele mesmo já teve casos em que a pessoa comprou o pacote e teve que cancelar porque ficou doente, e o seguro cobriu parcialmente a viagem ao reembolsar as multas cobradas pela operadora.

Antes de buscar um seguro viagem, no entanto, é importante verificar se o próprio cartão de crédito utilizado para comprar as passagens aéreas não oferece o serviço. Muitos planos cobrem gastos com acidentes, isentando o cliente da necessidade de uma contratação extra. Em alguns casos, informações como a idade do cliente e a data da viagem são requeridas. Portanto, a melhor coisa a se fazer é entrar em contato com a central de atendimento do cartão para se informar antes de viajar.

Antes de contratar um seguro viagem, veja se seu cartão de crédito já não inclui o serviço

Caso este não seja o caso, o viajante deve saber que a escolha de uma seguradora é pessoal. A contratação do seguro viagem, se feita independentemente de uma agência de turismo, pode ser realizada via internet com rapidez e eficiência. Boa parte das empresas aceita o pagamento efetuado com cartão de crédito ou boleto bancário. Vouchers são emitidos como garantia e enviados por e-mail ou pelo correio.

Antes de efetivar o contrato, a dica é ler com atenção suas cláusulas. O contratante deve estar ciente das responsabilidades de ambas as partes, evitando constrangimentos futuros. “O mais importante é verificar a cobertura que o seguro oferece e como entrar em contato, caso precise”, explica Silva. “Quando a viagem é para a Europa, por exemplo, informamos o cliente de que geralmente a Polícia Federal pede o seguro viagem, e ele é obrigatório para entrar lá”.

publicidade

Utilizando o seguro viagem

Certificar-se de que a comunicação entre os operadores da seguradora e o viajante seja realizada na língua de origem do contratante pode facilitar o encaminhamento de medidas destinadas a solucionar um problema ocorrido em um momento de maior sensibilidade ao estresse. “Dependendo do serviço, a pessoa pode até ligar para as centrais do seguro no Brasil, a cobrar”, diz Silva. Por isso, a maioria das seguradoras fornece uma lista de telefones para situações de emergência.

Outro item importante a ser verificado trata da localização da cobertura do seguro. Muitas regiões ou países podem não estar dentro da área de contato direto com a seguradora. Neste caso, ela deve fornecer ao viajante telefones de seus representantes para contato, antes do embarque.

O seguro viagem deve cobrir as despesas asseguradas e realizadas durante todo o período da viagem – não importando a localização da ocorrência. No entanto, o viajante deixa de usufruí-lo no momento em que pisar no solo de origem.

A estudante de jornalismo Fernanda Burzaca ficou doente durante sua viagem de intercâmbio a Vancouver, no Canadá. Apesar de ter recebido do seguro as indicações de hospitais e clínicas onde poderia ser examinada, preferiu a comodidade de ser atendida por um médico próximo da casa onde estava hospedada. “A consulta custou US$ 110 e o remédio US$ 40”, conta. “Recebi o reembolso no Brasil, sem problemas.” Tudo deu certo porque ela se lembrou de guardar os comprovantes de gastos efetuados lá fora. Dependendo do plano, Fernanda poderia ainda receber a visita de um médico.

Exigência do seguro viagem

Os países europeus inclusos no Tratado de Schengen – Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia e Suíça – estabelecem a obrigatoriedade de seguro viagem para visitantes provenientes de todas as partes do mundo.

Kadu Silva diz que 90% dos clientes não fazem o seguro viagem para viagens no Brasil, porque acreditam estar seguros com o próprio convênio médico. Mas 70% das pessoas que viajam para fora pedem o serviço. “Oferecemos para todas as pessoas que vão ao exterior, porque sempre pode acontecer algo – de um resfriado a internações – e a assistência médica em outros países é muito cara”. Segundo ele, cerca de 5% dos viajantes acaba recorrendo a um ou outro serviço.

Os valores assegurados são destinados para cobertura de atendimentos médicos e repatriação. O teto mínimo para o seguro varia conforme o país. Espanha, Itália e Portugal exigem apenas um montante em dinheiro, ou travelers cheques, e uma declaração de beneficiário do ISS para brasileiros. A declaração pode ser obtida em escritórios deste órgão público antes de viajar. Países como a França e Alemanha, no entanto, exigem do viajante uma cobertura mínima do seguro de saúde de 30 mil euros – comprovada por meio de comprovantes na imigração.

Fonte: IG

Turismo na Argentina


Não é à toa que tantos brasileiros viajam a turismo para a Argentina. Vários motivos levam a isso, a começar pela facilidade de acesso e pelo custo relativamente baixo das viagens.

Na Argentina, o turista desfruta de boa mesa, excelentes vinhos e todo tipo de diversão. As “comprinhas”, das quais brasileiros não costumam abrir mão em viagens, são uma atração à parte: roupas, sapatos, bolsas, itens decorativos de design arrojado, artesanatos tradicionais, pratas, livros, chocolates e vinhos figuram entre as melhores pedidas.

O brasileiro costuma ser atraído pelo ambiente “europeu” de Buenos Aires, pelas paisagens com montanhas nevadas e lagos glaciais e pelas estações de esqui da Argentina; de certa forma, os argentinos têm o que não temos e vice-versa (razão pela qual eles “invadem” o sul do Brasil em busca de boas praias…).

Embora a maioria dos compatriotas visite apenas Buenos Aires, a capital Argentina, talvez, Bariloche (quantos amigos seus conhecem a Quebrada de Humahuaca ou a Terra do Fogo?), a Argentina tem regiões de grande interesse para o turismo.

A imensa quantidade e diversidade de atrativos naturais da Argentina, que podem ser explorados tanto em passeios curtos e ultra-confortáveis quanto em esquemas radicalmente aventureiros: canyons, geleiras, desertos, salinas, estepes, florestas, cataratas, vales… Você poderá também ver de perto animais como focas, pingüins, baleias, vicunhas, flamingos, lhamas e guanacos. Por todos esses motivos, a Argentina merece não uma, mas muitas viagens!

Fonte: Buenos Aires Turismo



Programe as suas férias de julho e economize muito dinheiro

Mala de viagemO ano mal começou, mas há quem já esteja contando nos dedos quantos dias faltam para as férias de julho. Para quem começa a planejar uma viagem internacional, a ansiedade pode atrapalhar um pouco, mas com antecipação, o sonho de conhecer ou estudar em outro país pode ficar mais perto de ser concretizado. Faltando menos de cinco meses para as férias de inverno no Brasil, a dica para quem pretende viajar é procurar uma empresa especializada em viagens e intercâmbio para programar o passeio. Além disso, quanto antes for organizada, mais barata será a viagem.

Para Samuel Lloyd, gerente de marketing da STB, os meses de fevereiro e março são os mais aquecidos no início do ano. Por isso, ele indica que a viagem seja pensada com, pelo menos, seis meses de antecedência. “Recomendamos esse prazo, principalmente, por questões financeiras. Assim, o interessado consegue pagar menos em passagens aéreas e hospedagens, até porque estamos falando em alta temporada de férias”, ressalta.

Esse tempo de antecedência ainda permite tirar toda a documentação necessária para viagem, como passaporte, vistos e vacinas, quando necessário, além de ser bom para comprar a moeda estrangeira. “A questão cambial é sempre um risco, porque nunca se sabe como a moeda do outro país vai estar daqui um tempo. Comprando com antecedência, o viajante paga melhores taxas e pode comprar um pouco de dinheiro todos os meses”, explica.

Fernanda Zocchio Semeoni, diretora de produto e operações da agência de turismo Experimento, explica ainda que a melhor maneira de levar dinheiro é através do cartão pré-pago Visa Travel Money, que funciona com a função de débito no exterior. “O turista pode colocar dinheiro no cartão todos os meses, aproveitando as melhores taxas. Além disso, ele é seguro e aceito em todos os lugares que trabalham com cartão dessa bandeira”, recomenda.

publicidade

Preparativos da viagem 

Os procedimentos de antes do embarque são muito importantes. Como cada país possui legislação própria, os meses que antecedem a viagem são fundamentais para organizar todos os documentos necessários. “Além de passaporte e visto, também é preciso ficar atento ao seguro saúde, exigido dependendo do destino. O planejamento deve contemplar essas e outras questões, como a disponibilidade de tempo para viajar, do orçamento e preferências de clima”, explica Lloyd.

Para quem quer fazer intercâmbio, Fernanda explica que a antecipação ajuda a garantir uma vaga no curso escolhido. “As vagas para os programas mais populares acabam rápido. Muitas escolas têm número máximo de estudantes estrangeiros, então, é bom adiantar o processo para não se preocupar com disponibilidade de turmas”, alerta.

Na Experimento, por exemplo, um dos programas mais populares é o de estudos em Oxford, na Inglaterra, e de lazer em Paris, na França, e já está esgotado. “Mesmo vendendo passagens com até 40 dias de antecedência da viagem, quanto mais próximo da data do embarque, maior será o valor da passagem. Antecipar a decisão significa pagar menos”, destaca a diretora.

Lloyd lembra ainda que, se o destino escolhido for Londres, na Inglaterra, o melhor é procurar uma agência o quanto antes. “Esse ano, acontecerão as Olimpíadas em Londres. Isso muda um pouco o comportamento do mercado de turismo e afeta diretamente o bolso do consumidor. Já está mais caro para ir para a Inglaterra e nos próximos meses deve ter ainda mais aumento das tarifas”, adverte.

publicidade

Uruguai é o novo point do turismo homossexual

Gay na praiaO turismo homossexual vive no Uruguai um momento de forte crescimento, impulsionado por empresas que implementam variadas estratégias para seduzir um setor atraente por seu alto poder aquisitivo. Artigos em publicações internacionais especializadas no turismo gay, hotéis, pousadas ou discotecas “gay friendly” (amigáveis ou tolerantes com os homossexuais) mostram um nicho de mercado que nos últimos anos chamou a atenção de empresários e das autoridades turísticas, que trabalham pelo crescimento do setor no Uruguai.

Quem chega ao país se surpreende com “a quantidade de atividades que existem em Montevidéu” para o público homossexual, disse à AFP Juan Pedro López, empresário encarregado do setor “gay friendly” do Conglomerado de turismo de Montevidéu, integrado por empresas públicas e privadas.

“Há três boliches abertos, há sauna, cinemas, pubs, lojas de roupas e estamos apostando na hotelaria”, informou. “A agitação é cada vez maior e o ministério percebeu que havia um interesse cada vez mais intenso no setor gay”.

Sinal desse interesse, foi a inauguração, no fim de 2011, no exclusivo balneário Punta del Este de um hotel onde os homossexuais são bem vindos, em uma praia nudista que já tinha duas pousadas com ofertas para este público.

Além do desenvolvimento do setor há uma aposta do governo nacional e da intendência de Montevidéu, que há três anos começaram a analisar a possibilidade de implementar políticas específicas para atrair esse setor turístico.
“Há três anos, quando se falava em um campeonato de futebol gay em Buenos Aires começamos a ver que tipo de iniciativa poderíamos adotar para nos relacionarmos com o setor”, explicou o diretor nacional de Turismo, Benjamín Liberoff.

Eles entraram em contato com a argentina Gnetwork360, que organiza conferências internacionais de marketing e turismo para o segmento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros), e com o governo do país vizinho, cuja capital está entre os primeiros destinos mundiais de turismo gay, para receber assessoramento.

Desde então foram realizados dois seminários e o país começou a se promover como destino “gay friendly” nas feiras de turismo do exterior. “É ainda um setor reduzido, mas como não temos uma avaliação exata não podemos dizer o quanto é pequeno”, destacou Liberoff. “Desejamos que continue crescendo com um percentual maior de empresários vinculados ao setor”. Para ele, “o setor busca no Uruguai o mesmo do que qualquer outro setor”: descanso, praia e segurança, exemplificou.

Mas, de fato, um atrativo do turismo LGBT é que “os gastos desse setor às vezes são mais altos” que os do turista médio que visita o país, avaliou. Segundo López, geralmente o consumo do gay é maior que o do heterossexual. “É solteiro, não tem filhos, não paga colégio, associações. O consumo maior é principalmente de viagens e roupa, mais saídas”, considerou, destacando que é um público que antes de tudo busca respeito nos lugares que visita.

Nesse sentido, a aprovação nos últimos cinco anos no país de leis que permitem a união civil de casais homossexuais e a adoção de crianças por parte de casais do mesmo sexo, além da possibilidade da troca de nome e sexo e a entrada de homossexuais às Forças Armadas, refletem um “avanço maior” em matéria de direitos das minorias, considerou López, que acredita que isso influi na chegada de turistas LGBT.

“Avançou muitíssimo. Antes o gay era muito reprimido, agora se sente mais confortável e isso te permite transmitir segurança ao estrangeiro”, destacou, alertando, contudo que “ainda há muito trabalho a ser feito”, especialmente em matéria de capacitação dos trabalhadores do setor.     “Temos que trabalhar mais nos restaurantes, para que não aconteça – como aconteceu há pouco- a expulsão de dois homens que tinham se beijado. Em Punta del Este isso está superado, mas em Montevidéu ainda falta muito”, disse.

Segundo López, os pontos mais visitados do país pelo setor são Colonia (180 km a oeste, em frente a Buenos Aires), Punta del Este e Montevidéu. “Na Argentina muitos setores (gay) friendly fazem pacotes para o Uruguai – Colonia ou Punta del Este- como parte do passeio a Buenos Aires. Mas também temos cada vez mais turismo brasileiro”, informou.

Fonte: Minha Reserva

Litoral mexicano guarda diversas opções para o Carnaval

Seja um hotel badalado próximo do centro de Cancun, um destino só para casais e adultos ou um reduto de belezas naturais para uma viagem de aventura, o litoral mexicano, que incluí praias de Cancun, Isla Mujeres, Cozumel e Riviera Maya, conta com diversas opções de hospedagem para o Carnaval. Basta definir se a ordem é cair na folia nos desfiles de blocos que se parecem com o Carnaval brasileiro ou se a pedida é aproveitar os dias para descanso.

Com um clima mais badalado, o Beach Palace é mais agitado, perceptível da moderna decoração até a localização, próxima aos melhores bares e restaurantes. O hotel fica no coração de Cancun, em frente ao Flamingo Mall e próximo ao La Isla Shopping Village Mall, um dos mais famosos centros de compras da cidade.

Exclusivo para casais, o Sun Palace fica a apenas 15 minutos do aeroporto de Cancun. As acomodações contam com vistas deslumbrantes do mar do Caribe ou da Lagoa Nichupte, cenário perfeito para namorar. O casal também pode aproveitar o clima romântico para um jantar a dois em um dos cinco restaurantes ou até mesmo renovar as energias no spa.

O Moon Golf & Spa Resort tem classificação quatro diamantes. O resort fica a apenas dez minutos do aeroporto de Cancun e possui três seções distintas: a isolada e tranquila Grand, a animada Sunrise e a exclusiva Nizuc, que oferece serviço exclusivo de concierge.

Digno de cinco diamantes, o Le Blanc Spa Resort é uma obra-prima, um lugar para deixar as preocupações de lado e relaxar. Projetado com elegância minimalista e exclusivo para adultos, o empreendimento mais luxuoso da rede também tem uma localização privilegiada, entre a Lagoa Nichupte e o Mar do Caribe.

Em plena Riviera Maya, na Playa del Carmen, o Playacar fica a poucos passos do ferry boat que leva à Ilha de Cozumel e próximo a restaurantes, bares, lojas e da famosa 5ª Avenida, a rua mais movimentada do lugar. Em uma maravilhosa praia de areias brancas, banhada pelas águas mornas do mar caribenho, o Playacar é a opção certa para quem viaja em família.

E numa pequena e charmosa ilha a nordeste da Península Yucatán fica o Isla Mujeres. O acesso ao hotel é feito por ferry boat e a paisagem é encantadora e romântica. Ideal para casais apaixonados, que buscam momentos a dois.

Por fim, os mergulhadores e amantes da natureza encontram no Cozumel, na ilha de mesmo nome, um paraíso no fundo do oceano. Lá a atração é explorar a segunda maior barreira de corais do mundo ou nadar com golfinhos.

Fonte : Uol

Confira dicas para economizar na viagem internacional

Antes fazer uma viagem internacional, alguns cuidados podem ajudar a controlar o orçamento e evitar o endividamento. Um bom exemplo é comprar a passagem aérea com pelo menos dois meses de antecedência para evitar grandes oscilações no câmbio.

Segundo a Confidence Câmbio, antes de viajar, é importante fazer um planejamento, programando quanto será gasto por dia, evitando assim cair na tentação de gastar mais do que se pode.

Com relação ao câmbio, a empresa recomenda que a compra da moeda estrangeira seja feita aos poucos, evitando, por exemplo, as tarifas cheias e as grandes oscilações do mercado.

“Recomendamos que os turistas realizem a conversão do real para a moeda estrangeira aqui no Brasil, antes do embarque. E que levem o dinheiro do país a ser visitado, para evitar taxas e impostos”, explica o vice-presidente de marketing do Grupo Confidence, Paulo Volpe.

Outras dicas

Tente fazer menos compras com o cartão de crédito, já que, ao utilizar o cartão, o turista paga uma alíquota de 6,38% de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), além de taxas e conversões e o câmbio só será definido na data de fechamento da fatura.

Também tenha cuidado com a aquisição de presentes e lembranças de viagem, que podem estourar seu orçamento sem que você perceba. Faça uma lista de presentes e do que gostaria de trazer para você.

Viagem de Carnaval: saiba como evitar problemas no feriado

SÃO PAULO – Com o Carnaval chegando, os consumidores costumam aproveitar o período para programar uma viagem. Nesta época, alguns compram pacotes turísticos, enquanto outros preferem alugar uma casa ou apartamento para passar os dias do feriado.

De acordo com o Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor), após a escolha do passeio do roteiro, o consumidor deve avaliar se prefere um serviço personalizado, com liberdade de escolher a programação, ou uma excursão, onde os roteiros e horários são fixos, valendo a pena checar o número de pessoas que compõem o grupo.

Pesquisar os preços também é fundamental. As ofertas feitas ao consumidor, por meio de anúncios e folhetos, devem conter informações claras, como valores cobrados, categoria das passagens, taxas de embarque, tipos de acomodação (quarto duplo, individual), traslados, refeições oferecidas, guias, número exato de dias, juros nos pagamentos a prazo e, por fim, despesas extras que ficarão por conta do consumidor.

Exterior
Se o consumidor optar por uma viagem internacional, deve ficar atento a questões relacionadas ao câmbio de moeda, pois isso afeta decisivamente os gastos de maneira geral. Segundo a Fundação, nas compras realizadas com cartão de crédito, a conversão será feita para pagamento em real na data de vencimento do fechamento da fatura, portanto, é importante verificar a conveniência de optar por outras formas de pagamento, como traveler check, para evitar gastos fora do orçamento

O consumidor também deve se informar sobre a necessidade de vistos, vacinas, autorização para viagens de menores, para providenciar tudo isso antecipadamente. Além disso, é importante ficar atento aos horários e chegar aos locais de saída dos grupos com antecedência.

O consumidor também não pode esquecer de verificar os limites alfandegários para gastos no exterior.

Contrato
Caso opte por fechar um pacote com alguma agência de viagem, o consumidor deve procurar referências sobre ela, antes de assinar qualquer contrato.

No contrato, o consumidor deve exigir que conste tudo o que foi acertado verbalmente e oferecido pela publicidade. As cláusulas que possam colocar o consumidor em desvantagem exigem mais atenção, sobretudo quanto à possibilidade de alterações nos hotéis, passeios, taxas extras e transportes.

É importante guardar uma via datada e assinada, além de todos os prospectos, anúncios e folhetos publicitários, que integram o contrato.

Fechado o negócio, a agência deve fornecer os comprovantes de reserva de hotéis, traslados, entre outros serviços contratados, bem como recibos dos valores pagos, bilhetes, passagens com datas de saída e chegada.

Se houver algum problema durante a viagem, o consumidor deve comunicar os responsáveis e, se possível, registrar tais problemas por meio de fotos ou vídeos.

Imóveis

Para os consumidores que preferem alugar um imóvel para o Carnaval, o prazo deste tipo de locação não pode ultrapassar 90 dias e o pagamento dos aluguéis e encargos pode ser solicitado antecipadamente e de uma só vez.

É importante exigir o recibo discriminado de todas as quantias pagas. Antes de escolher o imóvel, o consumidor deve buscar informações com pessoas de confiança, checando tudo o que for oferecido. A localização do imóvel, inclusive as condições de acesso ao local, pontos de referência e infraestrutura da região, são fatores fundamentais a serem observados.

Se possível, o consumidor deve fazer uma visita ao local, em companhia do proprietário ou representante, relacionando por escrito as condições gerais em que se encontra o imóvel. Na impossibilidade dessa inspeção, o ideal é obter informações com conhecidos que já tenham ocupado o imóvel, não confiando apenas em fotos ou anúncios.

O contrato deve conter tudo o que foi tratado verbalmente, discriminando data de saída, nome e endereço do proprietário, preço e forma de pagamento, local de retirada das chaves, tipo e número de cômodos, garagem, etc. Se o imóvel for mobiliado, o contrato deve ter a descrição de seu estado de conservação e a relação de móveis e utensílios disponíveis. Ao final da locação é importante realizar nova vistoria.

De olho nas bagagens

Segundo o Procon-SP as bagagens também necessitam de cuidados. Para evitar problemas, veja o que fazer:

1. Viagens rodoviárias: identifique a mala por dentro e por fora com endereço da origem e do destino. Caso leve presentes, transporte na bagagem de mão as notas fiscais de compra; carregue os documentos pessoais e objetos de valor, como joias, também na bagagem de mão. Exija que a empresa transportadora identifique toda a bagagem com um tíquete próprio, do qual uma parte fica com o passageiro.

2. Valor da bagagem: fique atento aos pertences levados na mão, principalmente nas paradas e escalas. De acordo com o Procon, existe um decreto lei de 1998 que determina valores máximos para extravio e avaria na bagagem, mas nem sempre a quantia reembolsada espelha a realidade e, dessa forma, o consumidor acaba tendo de procurar seus direitos judicialmente.

3. De avião: no transporte aéreo, malas, sacolas, pacotes ou bolsas de mão devem ser identificados, dentro e fora, com etiquetas que contenham seu nome, endereço completo e telefone. Eventuais excessos de bagagem podem ser cobrados, por isso, verifique com antecedência o limite de peso ou volume determinado pela companhia. Viagens internacionais podem ter algumas restrições quanto às bagagens de mão.

4. Responsabilidade: após o check-in, a empresa aérea se torna responsável por sua bagagem, por isso, ela deve indenizá-lo, em caso de extravio ou danos. Se preferir, para garantir sua segurança, faça uma declaração dos itens contidos na bagagem, discriminando os valores, e guarde uma via (taxa cobrada à parte).

5. Receita Federal: equipamentos eletrônicos como máquina fotográfica, filmadora, computador portátil etc, devem ser declarados no posto da Receita Federal localizado dentro do aeroporto.

Fonte: Uol

Preço, cultura e gastronomia fazem de Buenos Aires, na Argentina, um destino apaixonante

A curta distância, o preço convidativo da passagem aérea e o câmbio, que continua favorável – embora não tanto quanto há alguns anos -, são fatores que contribuem para que Buenos Aires continue sendo um dos destinos mais procurados pelos brasileiros. Some isso à paixão do tango, à riqueza da gastronomia e à beleza da arquitetura com ar europeu e não é difícil entender porque Buenos Aires nunca perde o encanto. Mais que uma cidade de bons restaurantes, aconchegantes cafés e pontos turísticos conhecidos, Buenos Aires é uma cidade de alma. O inverno muito frio e o verão muito quente são manifestações da personalidade de um local que parece não conhecer o meio termo. A intensidade dos torcedores apaixonados, a entrega dos dançarinos nos palcos e ruas e as baladas lotadas que começam bem tarde mostram a intensidade dos porteños, rivais nos campos, mas ótimos anfitriões.

As calçadas planas e a proximidade entre os principais bairros ajudam os turistas que chegam a Buenos Aires para passar poucos dias ou até mesmo um final de semana. Mas não se engane. Embora dê para conhecer os principais pontos da cidade em pouco tempo, Buenos Aires merece muito mais que dois dias para ser explorada. O ideal é ter pelo menos dois finais de semana na capital, já que diferentes bairros possuem ótimas feiras livres, todas funcionando só aos sábados e domingos.

Na Plaza Dorrego, em San Telmo, por exemplo, restaurantes rodeiam a famosa feira de antiguidades que divide espaço com bailarinos que tentam ganhar alguns pesos dançando tango para os turistas. As antiguidades são caras, mas parar alguns minutos para beber um vinho, ou uma cerveja de litro, a preços muito convidativos, pode ser o mais valioso deste passeio. Para quem prefere novidade e modernidade, melhor se direcionar para o outro lado da cidade onde, em Palermo, novos estilistas expõem suas criações em volta da Plaza Julio Cortázar (também conhecida como Plaza Serrano), dentro de bares que ficam quase irreconhecíveis quando a noite chega, mas igualmente atraentes. Na praça, a feira livre com belas bijuterias e boas opções de presentinhos completam o passeio.

Também de final de semana outra feira que merece ser explorada é a feira da Plaza Francia, no bairro da Recoleta, que acontece em frente ao famoso cemitério onde Evita Perón está enterrada. O próprio cemitério é uma das atrações, mas que só deve ser visitada depois de o turista ter aproveitado as partes pulsantes da cidade. De todas as feiras livres que Buenos Aires oferece, a da Recoleta é com certeza a que traz mais tentações e a que merece mais tempo, pois não é pequena. À direita da feira, na parte de cima da praça, uma espécie de shopping para casa, o Buenos Aires Design, completa o passeio com lojas cheias de móveis e novidades em decoração. O dia pode muito bem terminar no Hard Rock Café, que tem acesso pelo terraço do Buenos Aires Design e que, embora não fuja do clichê, oferece ótimos pratos e ambiente gostoso.

Outro ponto que briga pela atenção dos turistas no final de semana é o Caminito, uma verdadeira passarela de lembrancinhas do estilo “estive em Buenos Aires e lembrei-me de você” mas que tem que ser visitada por quem vai à cidade pela primeira vez. Em uma das primeiras galerias enfiadas entre os restaurantes não deixe de ouvir um pouco as milongas interpretadas por Domingo Agnese, que toca bandoneón em frente ao chapéu onde recebe os trocados dos turistas, sorrindo para quem filma ou tira fotos suas. Na dúvida entre tantas coisas para fazer no fim de semana, visite o Caminito outro dia. Não é tão agitado, mas pelo menos possui alguma movimentação, ao contrário das feiras dos outros bairros que não são montadas de segunda a sexta.

Se estiver na cidade durante uma segunda-feira, uma ótima dica é sair um pouco do eixo turístico para ir até o Complexo Cultural Ciudad Konex. Lá, há cinco anos, acontece todas as segundas-feiras das 19h às 22h a La Bomba De Tiempo, show de percussão improvisada que reúne muita gente bonita, clima de festa e ingresso barato. Imperdível.

Embora andar por Buenos Aires seja fácil e gostoso, os táxis em conta são ótimos aliados para quem não tem tanto tempo para ver tudo que a cidade oferece. O transporte público é ainda mais barato e alcança vários pontos da cidade, embora não esteja em tão boas condições. O metrô possui intervalos relativamente grandes entre um trem e outro (uma média de seis minutos) e os ônibus só aceitam moedas. Antes de embarcar separe as suas pois o motorista não irá aceitar notas.

O passeio por Puerto Madero deve ser feito preferencialmente a noite, quando as luzes refletem na água do Rio da Prata e os restaurantes oferecem uma bela vista. O bairro portuário, que há vinte anos possuía apenas galpões em péssimo estado, foi completamente revitalizado e hoje tem o metro quadrado mais caro de toda a cidade. Para quem gosta de cassinos, um pouco mais afastado, mas ainda em Puerto Madero, um navio atracado oferece mesas e máquinas de jogo já que em terra eles são proibidos.

E, claro, o centro é parada obrigatória. Lá se concentram as principais atrações turísticas como a famosa Casa Rosada, a disputada Calle Florida (onde fica o belíssimo shopping Galerías Pacífico) e o icônico Obelisco, além de grande parte das ofertas de hospedagem. Ainda sim, as ruas sempre muito cheias fazem com que a região central não seja necessariamente a melhor para se hospedar. O bairro da Recoleta, por exemplo, é perto suficiente de tudo e muito mais tranquilo e charmoso. Dê preferência por este bairro aristocrata, arborizado e cheio de cafés e descubra uma Buenos Aires mais porteña e menos abarrotada de turistas. Com um pouco de disposição é possível ir a pé até o centro, de ônibus ou metrô até Palermo ou mesmo de táxi para os famosos outlets próximos da Avenida Córdoba.

Uma vez em Buenos Aires, não deixe de frequentar bons restaurantes, ir a algum show de tango e viver o máximo que puder de uma cidade que é ao mesmo tempo apaixonante e apaixonada. Mesmo se puder ficar apenas poucos dias, vá. Vá e volte planejando o retorno.

Fonte:Uol