Buenos Aires


A crise econômica não apagou o charme de Buenos Aires, a capital argentina, nem tirou dela a maior de suas qualidades, que é ser uma cidade destinada ao turismo.

Há reflexos nítidos, sim, como lojas fechadas e mendicância pelas ruas, mas o tango, o clima, a gastronomia e os belos prédios e monumentos que simbolizam suas revoluções e a nobre arquitetura do passado continuam lá, aliados a promoções imperdíveis para quem prefere as compras, graças à quase paridade do real e do peso argentino.

A crise, na verdade, vira piada para turistas. Os guias brincam com o assunto. “Vamos visitar a Plaza de Mayo, onde vocês podem aproveitar e fazer um panelaço”, diz a guia, que arrisca falar em português graças ao programa de treinamento a que sua operadora tem sido submetida, ainda no caminho do aeroporto de Ezeiza (que fica a 40 minutos do centro) para o hotel.

Mas não é só a Plaza de Mayo que deve ser visitada. Lá, há a Casa Rosada (palácio do governo), de onde é possível ver também o Obelisco, na avenida 9 de Julho, e a Catedral Metropolitana. Passeios como o Teatro Colón, as Galerias Pacífico, o Congresso Nacional, o Palácio de Justiça e o Luna Park (onde aconteceram, no passado, importantes episódios do Esporte e da Cultura do país) são obrigatórios para tentar entender a história argentina.

Temas como futebol, a desvalorização do câmbio, a crise política e as tradicionais perguntas sobre o “irmão” Brasil continuam recorrentes. Agora, mais que nunca, uma curiosidade toma conta de todos os portenhos: “E o Lula, como está?”, querem todos saber.

Quando falou em panelaço, a guia se referia ao engajamento político do povo argentino, algo que ficou mais evidente nos últimos dois anos, mas que sempre teve sua marca em protestos, passeatas e reivindicações. E enquanto passeia pelo bairro Palermo, reduto dos esportes, natureza, embaixadas, ricos, artistas e políticos, indica o apartamento onde vive a bruxa que detonou com os sonhos dos argentinos, o ex-ministro da Economia Domingo Cavallo.

A moeda -ou a não-moeda- também é motivo de brincadeira. “Vocês podem fazer compras com dólares, pesos argentinos, mas nunca com patacones”, alerta, se referindo à terceira moeda criada em 2001 como solução para sair da crise. Fala também para tomar cuidado com notas falsas. Alerta também sobre a violência: “É uma cidade grande, como São Paulo e Nova York.

Buenos Aires tem 3 milhões de habitantes. Junto da periferia, soma 14 milhões, em um país com 36 milhões de pessoas.

A cidade, tampouco os argentinos, perdem a pose. Querem turistas do Brasil, do Chile e do Peru (os que mais têm visitado a capital nos últimos meses). Mantém seus cafés a todo vapor, mesmo que neles falte um ou outro produto; a cultura efervescente, vista nas artes plásticas, na música, na dança, na literatura e no cinema; e a noite como uma das melhores e mais agitadas da América Latina.

Fonte: Folha Online

Viage com a

Verão é sinônimo de lazer e de riscos para a saúde

Os dias quentes do verão são um convite às praias e piscinas, mas também representam riscos para saúde. Segundo a SMSS (Secretaria Municipal de Saúde de Santos), o atendimento nos prontos-socorros e hospitais aumenta cerca de 20% nessa época, devido, principalmente, à desidratação, consequência da perda excessiva de líquidos.

Diante disso, a secretaria está afixando cartazes informativos nas unidades básicas de saúde, prontos-socorros, hospitais e outros pontos estratégicos. Segundo o cardiologista Luís Fernando Gomes da Silva, coordenador de Saúde do Adulto e do Idoso, o calor intenso pode causar febre, desidratação, náuseas e dores de cabeça nos idosos, agravar problemas do coração e descompensar os diabéticos.

“Não se deve esperar o idoso sentir sede para oferecer líquidos. É necessária a reposição toda hora, para que ele consuma dois litros de líquido por dia”, disse o médico.

Os ambientes com ventilador ou ar-condicionado devem ser umedecidos com uma bacia de água, pois ressecam o ambiente. Os familiares e profissionais que cuidam de idosos precisam estar atentos aos sinais de desidratação: mucosas e pele ressecadas, redução da eliminação de urina, queda da pressão arterial, taquicardia, sonolência, fraqueza e confusão mental.

Com as crianças, o cuidado não é diferente. Os líquidos devem ser oferecidos a cada 15 ou 30 minutos. A pediatra Regina Braghetto indica pêra, melancia, melão, laranja e maçã, que possuem muita água e são boas fontes de hidratação. “Mesmo quando a criança está brincando, os pais devem chamá-la para se hidratar, até porque é um momento de grande gasto de energia, principalmente se for ao ar livre”.

As crianças devem ser levadas à praia até as 9h30 ou após às 18h30, mesmo assim com proteção de chapéu e guarda-sol. O protetor solar deve ser fator 30 ou 50, com aplicação 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicação a cada duas horas ou quando molhar o corpo.

Higiene e alimentação
A médica infectologista Iraty Nunes Lima, chefe do Departamento de Vigilância em Saúde, destaca que lavar as mãos com água e sabão antes das refeições e sempre após ir ao banheiro deve fazer parte dos cuidados de qualquer pessoa. “As mãos limpas nos protegem de doenças infectocontagiosas”.

Segundo ela, outra dica é lavar bem frutas e legumes e evitar a exposição prolongada das refeições já preparadas. “No calor os alimentos perdem a validade facilmente”.

Fonte: Uol

Vai viajar para o exterior? Confira mitos sobre as operações de câmbio

Uma das principais preocupações dos turistas que planejam viajar para o exterior é a compra de moeda estrangeira para efetuar gastos no país de destino.
Para evitar dores de cabeça e fazer uma transação segura, é importante conhecer as principais regras dessas operações. Por isso, se você está pensando em embarcar com destino a outro país, confira alguns mitos que foram esclarecidos pelo Grupo Fitta:

Existe um limite de valor para a compra
O Grupo Fitta explica que, desde a mudança da legislação – na década de 90 -, não existe mais um limite de valor para a aquisição de moedas estrangeiras. Antes da alteração, o valor máximo era de US$ 1 mil.

Apresentar passaporte ou cópia da passagem para realizar operações
Para operações até R$ 10 mil por mês deve ser solicitado somente um documento de identificação. Se o valor for superior, é necessário fazer um cadastro de Pessoa Física, que solicita dados básicos pessoais. Neste caso é emitido um boleto de câmbio para a comprovação da origem legal do dinheiro.

A Receita Federal investiga as contas dos turistas que fornecem o CPF na operação cambial
Segundo o Grupo Fitta, a fonte de cruzamento de dados mais utilizadas pela Receita Federal é a própria movimentação da conta corrente e não o fato do CPF ter sido informado na hora da compra da moeda.
Também costumam ser analisados dados da previdência privada, cartões de crédito e registros de veículos e imóveis.

Compras com doleiros não têm riscos ao cliente e à sociedade
Um dos principais riscos do viajante que compra moeda estrangeira de doleiros é receber notas falsas. Além disso, a comercialização de moedas estrangeiras em espécie, realizada por agências de turismo ou lojas de câmbio sem a emissão do boleto de câmbio é crime, e fomentam o mercado paralelo.

Fonte: Uol

Veja cidades que ficaram mais baratas com a crise europeia

LisboaA crise econômica não está dando descanso aos países da Europa. Na contramão desse cenário desolador, alguns encontraram no turismo uma forma (quase a única) para melhorar sua já prejudicada economia. Quatro deles ficaram conhecidos como PIGS – inicial dos nomes de Portugal, Itália, Grécia e Espanha.

Apelidados assim pela imprensa inglesa, essas nações ao sul da Europa foram os principais afetados pela crise e os que viram o turismo florescer como consequência. Há um beneficio mútuo: para os locais, o turismo dinamiza as atividades e o movimento em hotéis, lojas e restaurantes. Para o turista, a hora é de aproveitar preços baixos, ofertas, descontos e promoçőes.

Isso, somado ao Real muito forte e uma economia brasileira cada vez mais estável, faz com que viajar pela Europa acabe sendo muito mais acessível atualmente.

Portugal é o primeiro nome da lista. O país já costumava ter preços relativamente baixos comparado com Inglaterra, França ou Alemanha, e tem muitas atraçőes igualmente encantadoras. Sua capital, Lisboa, chama a atenção pela beleza de sua arquitetura em meio às suas tradicionais ladeiras com bondinhos. Nas redondezas da localidade, pequenas cidades como Sintra, com belos castelos; e Cascais, conhecida por suas praias, são uma alternativa para viagens curtas.

Cerca de 300 quilômetros ao norte, Porto, segunda maior cidade do país, é também um destino imperdível e uma das localidades preferidas pelos turistas que desembarcam em terras lusitanas. Ao sul, também a uns 300 quilômetros, a região do Algarve, com suas agradáveis praias, é um dos principais destinos de verão entre os europeus.

A Itália representa o “I” dos PIGS. O país da bota tem sofrido bastante com as conseqüências da crise econômica que afeta o velho continente. Uma boa oportunidade para conhecer este país único, aproveitando ao máximo sua gastronomia, cultura, praias e lojas de roupas de marca. Indo das cidades do norte do país, como Milão, Roma, e Florença; passando pela magnífica costa Amalfitana para chegar ao sul do país, em cidades como Nápoles; e as belas ilhas de Sicília e Sardenha; tudo somado mostra que a Itália tem um número impressionante de atraçőes para todos os gostos. E o melhor: com preços mais baixos do que em épocas pré-crise.

A Grécia é, provavelmente, o país que tem dado mais dor de cabeça aos líderes da União Europeia – e a nação que mais sofre com a quebra econômica. Mesmo com tantas dificuldades, o país continua sendo o berço da civilização ocidental e possui inúmeras atrações para relembrar sua importância para o mundo.

A Acrópole de Atenas, com seu imponente Partenon, e as ruínas e vestígios históricos que completam o panorama, são as principais atraçőes turísticas da capital grega. Mas estão longe de ser as únicas, numa cidade que conta também com pontos como a praça Syntagma e o templo de Posseidon. E ainda as milhares de ilhas e ilhotas espalhadas em seu litoral, como Creta, Mykonos ou Santorini.

O último país dos PIGS, a Espanha (“Spain” em inglês) também está sentindo, e muito, a crise econômica europeia. Agora, mais do que nunca, este país de tradição hospitaleira passou a receber de braços abertos os turistas que chegam para gastar seu dinheiro em solo espanhol. Seja em Madri ou no grande e belo litoral, em cidades como Valência e Barcelona; ou nas míticas ilhas de Maiorca e Ibiza, a Espanha tem muitos motivos para atrair visitantes, que aproveitam a excelente atmosfera os drinques e as “tapas” (petiscos) boas e baratas.

Com o agravamento da crise, o termo PIGS acabou virando PIIIGS, incluindo, além dos quatro países anteriores, a Irlanda e a Islândia.
A Irlanda, que já foi um exemplo de crescimento econômico, encontra-se hoje entre os países mais afetados. E se isso não deixa sua capital, Dublin, menos interessante, bela, e atraente culturalmente, faz ao menos com que os preços, que nunca foram excessivos, tenham ficado bem em conta. O país tem também atraçőes naturais, como os Lagos de Killarney, no sudoeste; as praias de Galway; e a famosa Calçada dos Gigantes.

A Islândia esteve no olho do furacão da crise europeia em 2008. A ilha, afastada do continente por cerca de 1000 quilômetros, merece, e muito, a visita. Tudo por conta de suas maravilhas naturais: gêiseres, geleiras, fiordes e vulcőes são só algumas das paisagens incríveis e improváveis espalhadas pelo pais. Destino que costumava ser bastante caro e, agora, se tornou acessível e repleto de ofertas e promoções.

fonte: Terra

Canadá também é destino para quem gosta de esquiar

Considerado um dos melhores locais do mundo para a prática de esportes de inverno, o Canadá combina excelentes condições climáticas e infraestrutura singular de resorts. De leste a oeste do país encontra-se opções para esquiadores de primeira viagem e também para quem ja domina a prática do esporte.

Whistler, uma das maiores estações de esqui do Canadá, a cerca de 120km do aeroporto de Vancouver, é um dos locais mais procurados por brasileiros, no Canadá, para a prática de atividades de inverno. Lá, os adultos que querem aprender a esquiar ou andar de snowboard, tem a opcão de grupos de aula de até quatro participantes. As aulas tem até o uso do GPS para mapear o trajeto de descida, distâncias percorridas e velocidades alcançadas.

Norquay, Lake Louise e Sunshine Village também são estações bastante procuradas por adeptos de esqui e snowboard no Canadá. Esses três resorts localizam-se no parque nacional de Banff, considerado patrimônio da natureza pela UNESCO. Por suas condições geográficas, essa região é uma das que possui a maior temporada para prática de atividades de inverno de toda a América do Norte. Jasper é outro parque nacional canadense, também localizado em Alberta, na costa oeste do país.

Na costa leste, o resort Marmot Basin oferece 86 pistas de esqui e um dos mais rápidos teleféricos entre todas as estações do Canadá. Ao tornar mais ágil o deslocamento para subida das montanhas, os praticantes dos esportes de inverno ganham mais tempo com os treinamentos.

Já no Parque Nacional de Mont-Tremblant, na província de Quebec, próximo a cidade de Montreal, os adeptos do esporte encontram uma pista de 14 quilômetros de cross-country, que fica ao lado do Lago Monroe. A pista é voltada para quem possui nível intermediário de práticas em esquiar. O trajeto explora o vale do Diable River até as cascatas Chutes-Croches. E há possibilidade de se ter uma guia para acompanhar o passeio.

Faça já sua reserva:

Fonte: Uol

Turistas demoram 21 horas e 31 minutos para relaxar


Não adianta reclamar. O primeiro dia de uma viagem praticamente passa em branco. De acordo com uma pesquisa da empresa de aluguel para férias Home Away, do Reino Unido, os turistas demoram 21 horas e 31 minutos para realmente começar a relaxar. O tempo inicial é gasto para desarrumar as malas, se refazer do percurso de ida e se habituar à acomodação. Os dados foram divulgados no jornal Daily Mail.

O levantamento realizado com 2 mil adultos britânicos constatou que um terço se esquece do escritório só no terceiro dia. E um quarto só consegue realmente descansar após 48 horas. Em comparação, os entrevistados gastam apenas cinco horas e 29 minutos planejando os dias sem trabalho e um terço começa a se preocupar com o incômodo do percurso da volta depois de 72 horas que chegou.

Apesar de 80% dizerem que o principal motivo das férias é descontrair, quase metade, principalmente os pais, contou que muitas vezes chega em casa precisando de outra folga para relaxar da experiência estressante. A causa número um de tensão é chegar ao destino. Em seguida, aparecem pressões por não saber o idioma e preocupações com gastos excessivos por confusões com as taxas de câmbio. Mais de 80% informaram que lutam para levantar na hora certa e não perder o café da manhã.

“Talvez ter mais ajuda dos parceiros, permitindo que as crianças façam suas próprias coisas, e tentar esquecer as preocupações de casa ajudam a descontrair um pouco mais rápido”, disse Marie Chenailler, a porta-voz da empresa de turismo.

Turistas brasileiros terão mais facilidade para conseguir visto para os Estados Unidos

Barack Obama na DisneyO presidente dos EUA, Barack Obama, assinou nesta quinta-feira (19) uma ordem executiva com o objetivo de fortalecer o turismo no país. Obama fará um discurso na Walt Disney, na Flórida, para tratar do tema. Um dos alvos das mudanças introduzidas por Obama é o turista do Brasil.

O documento firmado por Obama prevê que o governo simplifique e acelere o processo de visto para os turistas, além de expandir um programa que permite agilizar a liberação de viajantes pré-aprovados e que representam baixo risco para a segurança norte-americana. O presidente toma a medida como parte de uma campanha mais ampla, para mostrar que faz todo o possível para estimular a economia.

“Todo ano, dezenas de milhões de turistas de todo mundo vêm e visitam a América. E quanto mais gente visitar a América, mais americanos voltarão ao trabalho”, afirmou o presidente em um comunicado.

Segundo a ABC News, um dos passos que Obama tomará para facilitar o processo é a nomeação de mais 100 cônsules, em países como China e Brasil. A reportagem da rede dos EUA sobre o tema lembra que, no Brasil, milhares de garotas que completam 15 anos querem comemorar com uma grande viagem. “Executivos da Disney World dizem que, por causa dos atrasos nos vistos, os EUA perderam milhares” dessas jovens. De acordo com a rede, Obama anunciará que pretende reduzir o tempo para a retirada de vistos em 40%, e que muitas garotas não precisarão mais passar por entrevistas para ganhar o visto.

A escolha de Obama pela Flórida parece ser notoriamente política, já que o Estado deve ser um importante campo de batalha para a disputa presidencial ainda este ano. Em alguns dias, o oposicionista Partido Republicano realiza sua primária nesse Estado. A Casa Branca, porém, negou essa intenção política, notando que a região é uma das principais zonas turísticas do país.

A Casa Branca afirmou que pretende estimular o turismo nos EUA, tendo como alvo a crescente classe média em países como China, Índia e Brasil. A Casa Branca diz que turistas chineses e brasileiros têm gastado entre US$ 5 mil e US$ 6 mil em cada viagem aos EUA. O turismo representa 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano e garante 7,5 milhões de empregos. Segundo a Casa Branca, projeções mostram que mais de 1 milhão de empregos podem ser criados nos próximos 10 anos, caso os norte-americanos ampliem sua participação no setor de turismo global. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Hoje em Dia

Hotéis em mais de 100 países

Férias: confira dicas para evitar roubos e furtos na sua casa de veraneio

São Paulo – Com o aumento do movimento na praia e no campo durante o verão, o número de furtos e roubos nas residências de veraneio também costuma crescer. De acordo com o o diretor executivo de sinistros da Allianz Seguros, Laur Diuri, são registradas, em média, 10% a mais de ocorrências nesta época do ano.

Para evitar este tipo de dor de cabeça, a seguradora afirma que é importante conhecer o método utilizado pelos assaltantes e elaborou dicas sobre como se proteger da ação dos criminosos. Confira.

Métodos dos criminosos

Uma das táticas dos ladrões é utilizar mulheres e crianças para observar os turistas em suas casas. “Para disfarçar, esses ‘olheiros’ geralmente pedem alguma coisa para o morador e vão embora”, diz a Allianz.

Depois do “trabalho de campo”, essas pessoas transmitem tudo o que observaram para os ladrões: o número de pessoas, o modelo do veículo, se a família mantém o portão aberto e se tem o costume de conversar na calçada. Por isso, fique atento a movimentos estranhos próximo à sua residência.

Outro ponto é que muitos furtos são praticados por assaltantes de bicicletas, motos ou a pé, mas sempre acompanhados. Portanto, se atente e desconfie de atidudes suspeitas.

Por fim, a seguradora aponta que, nos assaltos a residências, os ladrões armados costumam surpreender os turistas na chegada ou saída. Em seguida, após recolherem os pertences de maior valor, como eletrodomésticos, armas, DVDs, videogames, cheques, dinheiro e celulares, utilizam o veículo da família para fuga.

Cuidados ao chegar de viagem

Para evitar ser surpreendido em uma abordagem descrita acima, a seguradora recomenda os seguintes cuidados ao chegar de viagem:

  • Nunca tire seus pertences na rua. Procure descarregar o veículo dentro da garagem, para evitar que pessoas estranhas saibam o que você trouxe;
  • Não deixe objetos (bolsas, sacolas, óculos, celul

    ar) sobre os bancos;

  • Se possível, mantenha o alarme sempre acionado;

    e,

  • Não deixe o carro e vidros abertos, mesmo que o afastamento seja por pouco tempo e de pequena distância.

Cuidados na casa de veraneio

  • Não deixe portões abertos e objetos (bicicleta, brinquedos e bolsas) em locais de fácil acesso;
  • Evite ficar conversando na porta, mesmo que esteja em grupo;
  • Se possível, quando for à praia ou se ausentar da casa de campo, deixe alguém na residência ou comunique sua ausência a um vizinho

    de confiança, deixando seus contatos, como telefone celular;

  • Evite deixar que as janelas da casa sejam “vitrine” pa

    ra os objetos de valor no interior da casa;

  • Não deixe joias e dinheiro dentro da casa, mesmo que seja em um cofre. No período da viagem, utilize cofres de bancos ou empresas privadas;
  • Ao chegar à residência, tenha atenção e entre rapidamente. Caso haja algum suspeito, não entre. Dê algumas voltas e ligue para a Policia Milit

    ar no telefone 190;

  • Feche bem as portas e janelas, mesmo que tenha de sair por pouco tempo. Se for possível, reforce as portas com fechaduras auxiliares;
  • Mantenha uma luz externa ligada durante a noite. Se

    notar a presença de pessoas suspeitas, ligue imediatamente para o telefone 190;

  • Lembre-se de que os “ladrões de ocasião” optam por residências cujo acesso é mais fácil, com menos itens de segurança; e,
  • Em hipótese alguma reaja a um assalto.

Link
Fonte: UOL

Viaje com segurança, viaje com a

A bagagem foi extraviada, o voo foi cancelado, e agora?

As tão esperadas férias chegaram e, para que tudo ocorra da melhor forma possível, selecionamos algumas dicas para minimizar qualquer transtorno antes, durante e depois da sua viagem.

A bagagem foi extraviada

Caso seja configurado o extravio de bagagem em voos nacionais, o passageiro deverá ser indenizado pela companhia aérea. Todo passageiro, entretanto, tem a opção de declarar os valores atribuídos a sua bagagem, antes do embarque, e pagar uma taxa suplementar estipulada pela empresa. Nesse caso, o passageiro terá de receber o valor declarado e aceito pela empresa, tendo a mesma o direito de verificar o conteúdo da bagagem. Ficam de fora dessa declaração os objetos considerados de valor, como jóias, papéis negociáveis ou dinheiro. Esses objetos devem ser carregados na bagagem de mão, estando a empresa isenta de responsabilidade sobre a perda ou dano desses objetos.

No caso de voos internacionais, a Convenção de Varsóvia limita a responsabilidade da empresa em U$ 20,00 por quilo de bagagem extraviada. Nesse caso, o passageiro também poderá optar por efetuar o despacho de seus pertences, resguardando-se por uma declaração especial de interesse na entrega de sua bagagem. Esse documento discrimina minuciosamente o conteúdo da mala. Somente com essa declaração o passageiro poderá ser indenizado, prevalecendo a responsabilidade do transportador sobre os bens ali contidos. Se o passageiro não fizer a declaração especial de interesse na entrega e não pagar taxa suplementar, não terá direito ao ressarcimento à indenização integral e sim à indenização limitada de vinte dólares por quilo.

O vôo atrasou ou foi interrompido

Se o voo atrasar, ou for interrompido por mais de quatro horas, em aeroporto de escala, seja qual for o motivo, a empresa aérea é obrigada a acomodar o passageiro em outro voo, da própria empresa ou de outra, dentro de um prazo de quatro horas contadas a partir da hora do voo do qual foi preterido. Caso o passageiro aceite viajar em outro voo no mesmo dia (após as quatro horas) ou no dia seguinte, a empresa ainda tem que proporcionar todas as facilidades, como refeições, telefonemas, transporte e acomodação, quando for o caso. Caso a companhia aérea não ofereça tais facilidades, poderá ser feita uma reclamação oficial à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), pela internet, pelo telefone, ou ainda pelos postos de atendimento localizados nos aeroportos de Brasília (DF), Guarulhos (SP) e Confins (MG).

O voo foi cancelado pela companhia aérea

Há três opções para o passageiro no caso de cancelamento de um voo pela companhia aérea, que devem ser requeridas no balcão da própria companhia: receber o dinheiro da passagem de volta, ter o bilhete endossado por outra companhia ou remarcar a passagem para outro horário ou outro dia com a mesma empresa. Se não for atendido, o passageiro deve protocolar uma reclamação na ANAC e posteriormente buscar ressarcimento no âmbito do Programa de Orientação e Proteção ao Consumidor (PROCON) ou da Justiça. Cancelamentos também garantem o pagamento de transporte, hospedagem e alimentação. Todo cliente que se sentir lesado material ou moralmente, mesmo que receba assistência da companhia, tem o direito de acionar o PROCON ou a Justiça.

Como obter reembolso de passagem

Caso queira solicitar reembolso de passagem, é necessário antes verificar a forma de pagamento da aquisição do bilhete de passagem, pois o bilhete adquirido pelo sistema de crediário somente será devolvido após a quitação do mesmo. No caso de cartão de crédito, o valor a ser reembolsado será debitado na fatura e se o bilhete foi adquirido em dinheiro, a devolução é imediata. O prazo máximo para pagamento do reembolso ao usuário é de 30 dias, contados da data da solicitação do reembolso.

Companias Aéreas:

TamGolAzul Web JetTrip

No caso de desistência ou alteração de voo

Para cancelar a sua viagem, ou fazer qualquer outra alteração, consulte o sua agência de viagem ou a empresa aérea, tendo em vista as tarifas diferenciadas existentes e os vários procedimentos a serem observados para cada caso. Verificar as regras em seu contrato de transporte é de suma importância, pois essa mudança poderá gerar custos adicionais (em caso de remarcação) ou a empresa poderá reter uma parte do valor pago (em caso de reembolso). Se você desistir de sua viagem, o prazo máximo que a empresa aérea tem para fazer o pagamento do reembolso ao passageiro é de 30 dias, contados a partir da data da solicitação. A empresa aérea não tem a obrigação de fazer o reembolso se o passageiro decidir interromper a viagem no aeroporto de escala, nos casos em que o voo não é direto.

Cuidados na reserva de meios de hospedagem

Sempre solicite a confirmação por escrito da reserva em um meio de hospedagem, contendo as informações sobre a tarifa, o horário do check-in, o tipo de unidade habitacional, os serviços oferecidos e a forma de pagamento. Em caso de problemas na prestação de serviços, procure o órgão de proteção e defesa do consumidor local – PROCON e o Ministério do Turismo. Leve a confirmação de reserva escrita com você. Quando fizer a reserva saiba quais são as normas de cancelamento. Quando ocorrer um overbooking no hotel onde foi feita a reserva a primeira coisa que o estabelecimento deve fazer é acomodar os hóspedes em outro local e garantir o transporte entre os hotéis. O hotel tem obrigação de acomodar o turista em outro local com categoria equivalente à contratada.

Como escolher uma agência de turismo

De acordo com o art. 27 da Lei 11.771/08 (Lei do Turismo), somente Agências de Turismo regularmente cadastradas estão aptas a realizar excursões e passeios turísticos, a organização, contratação e execução de programas, roteiros, itinerários, bem como recepção, transferência e a assistência ao turista. Procure saber se durante a viagem serão oferecidas opções de passeio ou serviços pelos quais você terá de fazer pagamento extra. Verifique junto ao PROCON e as entidades de classe dos prestadores de serviços turísticos como: Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), Associação Brasileira de Indústria de Hotéis (ABIH), entre outras, para confirmar se existe alguma queixa ou denúncia registrada contra o prestador escolhido. Peça à agência, com alguns dias de antecedência, que lhe forneça: documento de confirmação de reserva do hotel; nota de débito ou recibo da fatura do hotel; passagens com assento marcado; etiquetas de bagagem personalizadas; roteiro de viagem; e uma cópia da programação.

Cancelamento de pacote turístico

Se a agência cancelar o pacote turístico, e o motivo não for de responsabilidade do consumidor, o mais correto é acionar o PROCON, visto que se trata de Direito do Consumidor. Também recomendamos entrar em contato com a ABAV de seu Estado, sendo esta a entidade representativa do setor de agências de turismo.

Antes de alugar um veículo

Sempre que desejar alugar um carro para viajar pelo Brasil, certifique-se, previamente, se possui o cartão de crédito solicitado como garantia pela locadora. Ao alugar um carro não assine notas ou faturas em branco. Se a empresa fizer essa exigência, denuncie o fato, imediatamente, a um órgão de defesa do consumidor. As despesas extras – seguros opcionais, impostos e combustíveis – deverão ser pagas no local de devolução do veículo.

Reembolso após cancelamento de viagem exige persistência

Em abril do ano passado, a antropóloga Gilda de Castro comprou na empresa Master Turismo, por R$ 8.596,00, um pacote de viagem para a Europa. Por motivos familiares, ela decidiu cancelar a compra 32 dias antes do embarque, que seria no dia 5 de setembro. Desde então, consumidor e prestador de serviço entraram em atrito. Os problemas começaram porque a agência de viagens é apenas uma intermediadora de outras prestadoras, como hoteis e empresas aéreas e o ressarcimento, portanto, envolve todas elas.

Quando existe o cancelamento de algum produto, o que vai determinar os valores do ressarcimento e os prazos para esse pagamento é o contrato assinado no ato da compra. De acordo com o advogado especializado em Direito do Consumidor Tiago Tavares, do escritório Alvim Cardoso e Tavares, o Código de Defesa do Consumidor não traz diretrizes específicas para esse tipo de transação, mas, segundo ele, contratos considerados abusivos podem ser contestados, mesmo se já tiverem sido assinados.

Pacote de viagem para a EuropaDisputa. No caso citado, do total contratado, Gilda pagou de entrada R$ 2.800 e parcelou os outros R$5.796 em nove parcelas de R$644,01. A demora na devolução pela empresa do dinheiro pago pela consumidora levou o caso para o Procon. Em audiência no órgão, a Master Turismo ofereceu a devolução imediata da comissão a que a empresa tem direito, alegando que a devolução do restante do dinheiro seria feita pelas outras empresas, responsáveis pelo transporte aéreo e hospedagens na Europa. A cliente considerou o valor muito baixo e não aceitou a proposta.

No dia 11 de novembro, um novo elemento foi adicionado na disputa. Na fatura do cartão de crédito de Gilda, apareceu um crédito de R$5.796, valor exato do montante financiado. Segundo ela, não havia nenhuma identificação de quem era o responsável pelo crédito e ela deduziu que fosse da prestadora de serviço pelo fato do valor ser idêntico ao do seu financiamento. Já segundo consta em nota enviada à reportagem pela Master Turismo, “sempre foi informado à cliente que os valores pagos seriam devolvidos como crédito na fatura do cartão”.

A reclamação da cliente é que, como o dinheiro apareceu como crédito no cartão, ela não teve liberdade de movimentar livremente o valor e foi obrigada a usar o recurso consumindo no cartão e não usando em algum outro investimento.

Segundo Tiago Tavares, o ressarcimento deve acontecer com depósito em conta corrente, mas, a partir do momento que a cliente utilizou o dinheiro creditado em seu cartão, ficou subentendido que ela concordou com a forma de ressarcimento.

Para finalizar a questão, há ainda, segundo a consumidora, pendências a serem resolvidas. Como as parcelas do pacote continuam sendo cobradas, o valor do ressarcimento teria de respeitar o contrato de adesão que, de acordo com Gilda, é de 3% do valor total acrescidos de 30. Nesse cálculo, o estorno deveria ser de R$ 8.268 e não R$ 5.796. Segundo ela, a decisão final será dada pela Justiça.

Fonte: O Tempo

publicidade